A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Março de 2019

14/10/2018 14:57

Com novo limite para o 2º turno, candidatos já gastaram 4,8 milhões

TSE estabeleceu acréscimo de R$ 2.450 milhões para o segundo turno.

Izabela Sanchez
Os candidatos ao governo de Mato Grosso do Sul Reinaldo Azambuja (PSDB) e Odilon de Oliveira (PDT) (Arquivo)Os candidatos ao governo de Mato Grosso do Sul Reinaldo Azambuja (PSDB) e Odilon de Oliveira (PDT) (Arquivo)

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) estabeleceu limite de R$ 2.450.000,00 para cada candidato gastar com a última etapa da campanha. No primeiro turno, o teto de despesas foi estabelecido em R$ 4,9 milhões. Mas candidatos não atingiram o limite individual e os dois juntos gastaram R$ 4.873.940,01.

O candidato à reeleição Reinaldo Azambuja (PSDB) já investiu R$ 3.003.691,93. A maior parte das despesas, R$ 650 mil, com produção de programas de rádio, televisão ou vídeo, conforme dados do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral).

O total de arrecadação do candidato é de R$ 2.500.064,00, R$ 500 mil a menos que o total gasto. Do valor, 72% vieram do fundo partidário. A última atualização do candidato ocorreu no dia 7 de outubro. Apenas R$1.064,00 desse valor foi de financiamento coletivo.

O candidato do PDT, juiz Odilon de Oliveira, arrecadou R$ 2.058.861,00, R$ 4 .953,00 com financiamento coletivo. O maior doador foi a direção nacional do PDT, com R$ 2 milhões, mais de 97% dos recursos.

O candidato atualizou os dados no dia 13 deste mês. Odilon gastou, até agora, R$ 1.870.248,17, a maior parte, 30,70%, com serviços prestados por terceiros, totalizando R$ 574.160,0. 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions