A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

28/04/2014 09:16

CPI da Homex deve espalhar relatório e apontar culpados à Justiça

Kleber Clajus
Leitura do relatório ocorre, a partir das 14h, no Plenário Edroim Reverdito (Foto: Kleber Clajus / Arquivo)Leitura do relatório ocorre, a partir das 14h, no Plenário Edroim Reverdito (Foto: Kleber Clajus / Arquivo)

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Homex apresenta, nesta segunda-feira (28), relatório das investigações sobre irregularidades praticadas pela construtora mexicana em Campo Grande. O documento deve ser encaminhado ao Ministério Público e Congresso Nacional, a fim de evitar que situação semelhante ocorra em outros estados.

De acordo com o relator da CPI, vereador Carlos Augusto, o Carlão (PSB), o documento com 90 páginas irá refletir o “desrespeito da Homex” com as investigações. Os parlamentares chegaram, inclusive, a entrar na Justiça em busca de ouvir a empresa, mas não obtiveram êxito.

“Vamos mostrar onde houve o erro. Todo mundo que foi responsável por isso vai ter que pagar. Não pode é o povo ser prejudicado e aqui não vai sair barato o calote que realizaram”, comentou Carlão.

Durante a leitura do relatório, a partir das 14h no Plenário Edroim Reverdito, também deve ser apresentado o entendimento dos parlamentares sobre o papel da Caixa Econômica Federal no processo.

“A Caixa está respondendo pelo término das obras e o mutuário não poderá ficar com a casa com rachaduras e infiltração. Daí colocamos que a Caixa terá que ser responsável pela manutenção”, pontuou o relator.

Preside a CPI o vereador Alceu Bueno (PSL), tendo ainda por integrantes Otávio Trad (PT do B), Ayrton Araújo (PT) e Edson Shimabukuro (PTB).

O petista, inclusive, já informou que pretende apresentar um adendo ao relatório questionando as convocações para depoimentos no processo iniciado em 10 de setembro do ano passado.

Após leitura e aprovação, o documento deve ser encaminhado também à presidência nacional da Caixa, MPF (Ministério Público Federal) e MTE (Ministério do Trabalho e Emprego).

Histórico - Das três mil casas que a Homex se propôs a construir na Capital, a empresa vendeu 700, mas não entregou 272. A construtora também é acusada de calote de R$ 24 milhões com fornecedores, com processos iniciados em 2012 e 2013. No período, teria recebido R$ 50 milhões.

A fim de resolver o impasse, a Caixa Econômica Federal contratou em setembro a empresa VBC Engenharia Ltda para dar continuidade às obras dos 272 apartamentos abandonados em fase de construção e adquiridos através do Programa Minha Casa Minha Vida. Já em dezembro, a nova construtora realizou levantamento sobre os materiais necessários e no dia 6 de janeiro iniciou os trabalhos, avaliados em R$ 3,8 milhões. O cronograma de obras tem previsão de entrega para o primeiro semestre de 2015.

Em nota encaminhada em fevereiro, a Homex afirmou que “repetidas acusações inverídicas” teriam denegrido sua imagem “perante terceiros sem considerar a maneira transparente e pública como vem conduzindo o seu processo de recuperação judicial”.

Quanto às denúncias de abandono das obras, a empresa classificou a questão como “igualmente inverídica”, uma vez que desde novembro do ano passado retomou as obras dentro de cronograma aprovado pela Caixa.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions