A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 17 de Janeiro de 2018

06/10/2014 14:37

Derrotado nas urnas, Marçal Filho anuncia aposentadoria da vida política

Helio de Freitas, de Dourados
Marçal Filho usou seu programa de rádio hoje para anunciar que “nunca mais” disputará uma eleição (Foto: Divulgação)Marçal Filho usou seu programa de rádio hoje para anunciar que “nunca mais” disputará uma eleição (Foto: Divulgação)

O deputado federal Marçal Filho (PMDB) anunciou hoje que vai se aposentar da política após não conseguir se reeleger nas eleições deste ano. Ele recebeu 39.852 votos e ficou como segundo suplente da coligação, mas nesta segunda usou seu programa na rádio 94 FM para comunicar sua aposentadoria.

“A decisão foi do povo. Ninguém é obrigado a nada. O povo é soberano na eleição. Podem falar que foi por conta disso ou conta daquilo, mas isso não importa. O que importa é que o povo foi lá e votou e elegeu essas pessoas”, afirmou ele ao citar os nomes dos eleitos e desejar sorte aos eleitores.

Ao informar sua decisão de deixar a política, Marçal pediu que a declaração fosse gravada, para ser cobrado depois caso volte atrás. Citou como exemplo o deputado Onevan de Matos, que anunciou aposentadoria após perder a eleição para prefeito de Naviraí, mas depois recuou. Ontem Onevan foi reeleito deputado estadual.

“Eu Marçal Filho não serei candidato a mais absolutamente nada. Estou fora da política. Eu quero que gravem e me cobrem. Não serei mais candidato a absolutamente nada. Já fiz a minha parte e já cumpri a minha missão. Vou continuar ajudando minha cidade, mas como cidadão, não mais como político”, afirmou o deputado peemedebista.

Formado em direito, Marçal Gonçalves Leite Filho é natural de Dourados e completa 51 anos de idade no dia 14 deste mês. Iniciou a carreira política em 1992, quando foi eleito vereador em Dourados, pelo PMDB. Em 1994 ficou como primeiro suplente a deputado federal pelo PSDB e assumiu a cadeira na Câmara em 1997.

Nas eleições de 1998 foi reeleito deputado federal também pelo PSDB, partido do qual saiu em 1999. Em 2002 foi candidato a vice-governador na chapa de Marisa Serrano. Em 2006 mais uma vez ficou como suplente de deputado federal e assumiu a vaga deixada por Waldir Neves, que renunciou para assumir cargo de conselheiro no TCE (Tribunal de Contas do Estado).

Em 2010, novamente no PMDB, Marçal Filho foi eleito deputado federal com 60.957 votos. Em 2012, ele tentou se candidatar a prefeito de Dourados, mas o PMDB decidiu se coligar ao prefeito Murilo Zauith (PSB).

Marçal se rebelou com seu partido e apoiou a candidatura da mulher, Keliana Fernandes, que teve 34.132 votos, mas foi derrotada por Murilo Zauith (65.794 votos).

No dia 9 de setembro, menos de um mês antes da votação, Marçal Filho foi condenado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) a cumprir dois anos e seis meses de prisão por crime contra a fé pública. Entretanto, a maioria dos ministros do tribunal decidiu pela prescrição da pena, uma vez que a denúncia tinha sido feita quatro anos atrás.

O deputado era processado pelo MPF (Ministério Público Federal) desde 2010 por suspeita de falsificar documentos para omitir ser proprietário da rádio 94 FM, em Dourados.

Como acabou absolvido da acusação de falsidade ideológica e teve a pena prescrita no crime contra a fé pública, o deputado divulgou nota no dia 10 de setembro afirmando ser “ficha limpa”.

Nos bastidores da política douradense os comentários são de que agora Marçal vai apostar na carreira política da mulher, Keliana Fernandes (PSC), que recebeu 11.072 votos na eleição para deputada estadual.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions