ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  16    CAMPO GRANDE 19º

Política

Em MS, Toffoli diz que Brasil sofre com "campanhas de desinformação"

Ministro criticou ataques às entidades democráticas e defendeu voto eletrônico, citando exemplo de EUA

Por Caroline Maldonado e Gabriela Couto | 17/09/2021 13:14
Ministro do STF, José Antônio Dias Toffoli hoje, no TRE-MS. (Foto: Marcos Maluf)
Ministro do STF, José Antônio Dias Toffoli hoje, no TRE-MS. (Foto: Marcos Maluf)

A comemoração dos dez anos de fundação do Coje (Colégio de Ouvidores da Justiça Eleitoral) teve o lançamento de um livro sobre o assunto e a presença do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), José Antônio Dias Toffoli.

Convidado por ser o responsável pela implantação das ouvidorias, o ministro disse que ouvir a população é importante e que o País vive uma “era da pós-verdade", com "campanhas de desinformação e ataques às entidades democráticas".

Durante o discurso, no TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul), Toffoli disse que o papel da ouvidoria é importante, porque assegura que o trabalho da Justiça especializada esteja em sintonia com o que ela se propõe a fazer.

“Mais do que uma polarização política, vivemos um sectarismo político”, disse o ministro ao citar a invasão do Capitólio dos EUA (Estados Unidos da América), ocorrida no início deste ano, quando partidários do ex-presidente Donald Trump foram convocados a se reunirem em Washington, a capital norte americana, para protestar contra o resultado da eleição presidencial de 2020.

Ele comparou o protesto nos EUA ao momento político do Brasil. “Existe a emergência de movimentos sectaristas e foi preciso que a democracia defendesse a própria democracia. Movimentos antidemocráticos e golpistas de 7 de setembro apostam na desinformação e na memória curta das pessoas”, disse.

Toffoli disse ainda que é importante que as ouvidorias se unam para combater e esclarecer a desinformação. “Não podemos permitir que o ódio domine as instituições, pois o fim do diálogo é suicídio de uma nação”.

Além disso, o ministro defendeu o voto eletrônico. “É transparente, seguro e avançado”, afirmou, dando como exemplo a não eficácia do voto impresso, os desdobramentos da recontagem de votos no Arizona (EUA), que era para ser de 60 dias e já passa de cinco meses.

Aos interessados em se aprofundar no tema, Toffoli recomentou a leitura de um artigo na revista The New Yorker, com o título “Grande Financiamento por trás da Grande Mentira” - The Big Money Behind the Big Lie, em inglês.

O momento mais difícil durante o biênio à frente do STF, segundo o ministro, foi a abertura da CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) das Fake News, que investiga possível rede de disseminação de notícias falsas.

Novo livro - A publicação sobre os dez anos do Colégio de Ouvidores do TRE-MS é digital, por enquanto, mas, em breve, terá versão impressa.

A obra conecta pessoas que constroem as ouvidorias, que são pontes entre os cidadãos e os estabelecimentos públicos. Além do lançamento, foram entregues comendas à pessoas que prestaram serviços relevantes ao senso de justiça do país.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário