ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 34º

Política

Empréstimo em que Bumlai foi 'laranja' do PT pagou marqueteiros de MS

Por Nyelder Rodrigues | 18/10/2016 20:49
Giovane em foto com o vereador Alex do PT e o deputado federal Vander Loubet, durante governo do PT em MS (Foto: Reprodução)
Giovane em foto com o vereador Alex do PT e o deputado federal Vander Loubet, durante governo do PT em MS (Foto: Reprodução)

Parte dos R$ 12 milhões do empréstimo em que o PT usou o pecuarista sul-mato-grossense José Carlos Bumlai como "laranja" foi usado para pagar dívidas do partido com os marqueteiros Armando Peralta e Giovane Favieri, antigos donos da produtora VBC, que atuou em três governos de Mato Grosso do Sul.

O caso ocorreu em 2004 e o dinheiro do empréstimo foi usado para pagar dívidas de campanha do ex-prefeito de Campinas (SP), Helio de Oliveira Santos (PDT), apoiado pelo PT no segundo turno das eleições municipais daquela cidade.

Conforme denúncia feita pelo MPF (Ministério Público Federal) nesta terça-feira (18), R$ 3,4 milhões foram destinados a NDEC (Núcleo de Desenvolvimento de Comunicação), empresa de Peralta e Favieri que trabalhou para Helio em Campinas.

O empréstimo de R$ 12 milhões foi concedido pelo Grupo Schahin e o pagamento do mesmo foi realizado em forma de contratos fraudulentos na Petrobras - o grupo recebeu US$ 1,6 bilhão para operar o navio sonda Vitória 10.000 posteriormente.

A distribuição desses R$ 12 milhões foi feita através de contas do frigorífico Bertin, na tentativa de despistar qualquer investigação sobre a negociata. Foi das contas do Bertin que saiu o pagamento para Favieri e Peralta, além de R$ 500 mil para a Omny Par Empreendimentos Consultoria e Participações, credora da dupla.

Além de Bumlai, o MPF aponta participação no esquema do ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, e do empresário Ronan Maria Pinto - que também foi alvo de investigação sobre a morte do ex-prefeito de Santo André (SP), Celso Daniel.

Caixa Dois e desvio - Peralta e Favieri eram os donos da produtora VBC, que trabalhou nos governos de Pedro Pedrossian, Wilson Barbosa Martins e Zeca do PT em Mato Grosso do Sul - neste último, foi acusada de desviar R$ 30 milhões. Em entrevista à Folha de S. Paulo no fim do ano passado, Favieri admitiu que recebeu dinheiro de Caixa Dois em Campinas.

"É óbvio que o pagamento foi feito no caixa dois. Naquela época, não havia tanta preocupação com isso. Caixa dois era quase uma contravenção", disse ele na entrevista. Favieri também é dono da Rentalcine, empresa que venceu polêmica licitação da TV Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) para receber R$ 7,6 milhões.

A reportagem tentou contato telefônico com Giovani Favieri e Armando Peralta para obter o posicionamento de ambos sobre a situação denunciada hoje pelo MPF, mas as ligações caíram na caixa de mensagens.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário