A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

13/10/2016 09:51

Juiz marca para novembro assembleia de credores de usina da família Bumlai

Assembleia estava prevista para março, mas foi suspensa após mandado de segurança impetrado por um dos credores

Helio de Freitas, de Dourados
Usina São Fernando teve bens apreendidos pela Justiça em janeiro deste ano (Foto: Arquivo)Usina São Fernando teve bens apreendidos pela Justiça em janeiro deste ano (Foto: Arquivo)

Foi agendada para o dia 17 de novembro deste ano a assembleia geral de credores da Usina São Fernando, localizada em Dourados, a 233 km de Campo Grande.

Durante a reunião, marcada para o espaço de eventos Serrado Brasil, com início às 9h, a empresa pertencente à família do pecuarista José Carlos Bumlai vai tratar de seu plano de recuperação judicial com os credores.

Existe expectativa que a São Fernando apresente a proposta de uma venda judicial em mais uma tentativa para sair da falência e pagar as dívidas, que somam R$ 1,1 bilhão.

A São Fernando quer criar uma UPI (Unidade Produtiva Isolada) para incluir a usina de Dourados e os ativos biológicos (lavoura de cana) e submetê-los a uma venda judicial, através de leilão.

Amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Bumlai é um dos réus na Operação Lava Jato. A usina de Dourados está em nome de seus dos filhos.

Credores – O juiz Jonas Hass da Silva Junior, da 5ª Vara Cível de Dourados, que cuida dos processos de falência da São Fernando, determinou que o cartório judicial intime as centenas de credores da indústria sobre a assembleia, que tem uma segunda convocação marcada para o dia 1º de dezembro deste ano, no mesmo local e horário da primeira assembleia.

A assembleia foi agendada após desembargadores da 4ª Seção Cível do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) negarem mandado de segurança que impedia a São Fernando de reunir os credores.

O mandado foi apresentado por um dos principais credores da companhia, o BNP Paribas, e impediu que a assembleia fosse realizada no dia 10 de março deste ano. O banco alegou que a usina não apresentou documentos contábeis e financeiros necessários para a análise de sua viabilidade econômica.

O juiz Jonas Hass Silva Junior já tinha negado o recurso do BNP, mas o banco recorreu ao TJ-MS, onde também teve o pedido indeferido.

Além dos credores, entre eles o BNDES, a São Fernando já sofreu pedido de falência até da administradora judicial, a VC Consultoria e Perícia.

Segundo Pedro Coutinho, sócio da VC Consultoria, a Justiça preferiu deixar com os credores a decisão sobre a situação da empresa. Entretanto, ele acredita que o plano de recuperação não será aceito na assembleia marcada para novembro porque os bancos não estão propensos a aprovar as propostas em pauta.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions