A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

15/08/2013 09:20

Estado vai construir 11 novas escolas dentro do pacote “MS Forte-2”

Zemil Rocha
André distribuindo kit escolar a alunos (Foto: Arquivo)André distribuindo kit escolar a alunos (Foto: Arquivo)

Dentro do programa “MS Forte-2”, a ser lançado na noite desta quinta-feira (15), a educação pública estadual de Mato Grosso do Sul vai ganhar 11 novas escolas. No atual governo, 25 já foram construídas. Trata-se de “um dos maiores avanços da história na área”, segundo a Secretaria de Estado de Educação (SED), que também vai ampliar e reformar toda a rede física existente nos 79 municípios.

A SED destaca ainda a realização de uma ação inédita de valorização do ensino durante o atual governo: a entrega todos os anos kits com material escolar e uniformes e a premiação dos alunos com melhor desempenho da rede estadual. “Mato Grosso do Sul foi eleito pelo Ministério da Educação como o Estado brasileiro que mais investe em educação (2011), com mais de 32% das receitas aplicadas no setor”, enalteceu o governo.

Dentre as 11 escolas previstas no “MS Forte-2”, há a construção de 8 escolas nos municípios de Bodoquena, Dourados, Três Lagoas, Ponta Porã, Itaquiraí, Dourados (Distrito de Indápolis), Sidrolândia e Maracaju. Também consta a construção de 3 escolas padrão-indígenas.

Quanto às reformas de escolas estaduais, deverão ser beneficiados os municípios de Angélica, Bataguassu, Bonito, Corumbá, Jardim, Maracaju e Nova Andradina.

Estão ainda por serem concluídas as obras das escolas estaduais de Bataguassu, Amambai, Dourados, Três Lagoas, Nioaque (Assentamento Uirapuru) e Ponta Porã (Assentamento Itamarati).

Há ainda na lista da SED a construção de 68 coberturas de quadras de esportes em diversos municípios, ampliações e adequações de escolas estaduais para implantação de projeto padrão, sala multifuncional, biblioteca, sala de tecnologia, refeitórios e laboratórios/informática.

No MS Forte-2, a SED prevê aquisição de 300.000 kits escolares (livros, cadernos e material escolar) e 600.000 uniformes escolares, além da entrega de 15.000 tablets para professores das escolas estaduais. Prevê ainda convênio com municípios para transporte escolar, com aquisição de 50 veículos (ônibus).

 



Dinheiro do estado ou da união???
 
Carlos Netto em 19/08/2013 07:48:41
Marco Antonio. Correto, dependendo para quem ou para que o minuto de silêncio vaio mesmo. Governo não coloca filho no mundo, como quem o coloca no poder são os humanos, os eleitores. Sua interpretação ao meu comentário anterior é equivocado. A educação informal dos filhos é dever da família, o que disse é com relação a educação formal. Quem exerce uma política assistencialista são os próprios governos. Os humanos não vivem só de cama, roupa lavada, alimentação, saúde, etc. Tem também que aprender a sobreviver, e para isso necessita de educação de qualidade. Ter uma profissão, trabalhar e ser competitivo no mercado de empregabilidade. O Estado e os cidadãos devem ser responsáveis e terem o dever de desenvolverem uma sociedade justa. Leia sobre a Geração "Nem Nem" ou Geração Perdida. Abraço.
 
GALIANO PACCINI NETO em 15/08/2013 23:05:07
Ridículo isso. A escola Olinda Conceição do conjunto Buriti em Campo Grande está a mais de 10 anos sem reforma. É lamentável entrar na escola e observar paredes, teto, piso, foro, tudo caindo. Quando chove, é um Deus nos acuda. Engraçado, pq essa mesma escola foi premiada 3 vezes em um ano e até agora nada recebeu. Semana passada ganhou o prêmio de melhor escola estadual de MS e nem uma pintura no muro para 'disfarçar' ganhou.... Não entendo, realmente!
 
Andre Souza em 15/08/2013 13:05:25
Ê seu galiano! é o tipo do brasileiro que vaia até o minuto silêncio,acha que o governo é responsavel por tudo.basta colocar filho no mundo que o unico responsavel é o governo,esquece que tudo tem que começar em casa,todos querem um mundo melhor para os filhos,mas esquecem que o mundo precisa de filhos melhores,o governo tem que dar cama comida e roupa lavada,é muito facil fazer filhos e entregar na mão dos governantes.
 
marco antonio em 15/08/2013 12:23:34
óóóó eles estão investindo o nosso dinheiro na educação pelo menos em alguma coisa eles estão investido...
#OBRIGAÇÃO
 
Douglas Augusto em 15/08/2013 10:30:45
Isso vem em boa hora,porque a situação das CADEIRAS E CARTEIRAS que as crianças estudam na REDE ESTADUAL é digno de vergonha,esse GOVERNADOR ESTA DE PARABÉNS JUNTO COM O GOVERNO FEDERAL,pois antes aqui no MS nunca houve essa preocupação com a EDUCAÇÃO,engraçado que o ANDRÉ conseguiu muito mais coisa para a EDUCAÇÃO como ESCOLAS NOVAS,KITS ESCOLARES,UNIFORMES E PREMIAÇÕES que seu antecessor que era do mesmo partido ,minha filha estuda na rede estadual e quando vou na escola para reuniões fico indignado com a cadeira que senta e carteira que usa,uma vergonha,parabéns Governador André,só uma coisa; faça uma REFORMA TAMBÉM DE CADEIRAS E CARTEIRAS nas escolas antigas,existem bons alunos e merecem ter o mínimo de conforto quando estudam .
 
Israel Lima em 15/08/2013 10:27:20
Que sejam bem vindas as 11 novas escolas públicas. Mas que os projetos dessas escolas incluam o espaço físico que é a "alma" de uma instituição de ensino as Bibliotecas.
Bibliotecas condizentes com um sistema pedagógico que prevaleça o ensino-aprendizagem de formação critica das novas gerações. Não resolve investimentos na tecnologia da informação para quem não sabe ler e escrever corretamente; isso funciona como moeda política. Os pais; sendo leigos; acreditam que seus filhos apertando teclas em um computador se tornaram alfabetizados e/ou prontos para a empregabilidade qualificada e especializada. Os governos devem parar com as retóricas demagógicas, e investirem onde a educação torna-se de primeira. Atualmente as escolas públicas possuem estrutura de terceira.
 
Galiano Paccini Neto em 15/08/2013 10:04:44
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions