A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

26/03/2014 10:06

Evangélicos vão parar de receber “migalhas”, diz Olarte a pastores

Kleber Clajus e Edivaldo Bitencourt
Olarte se comprometeu em apoiar projetos assistenciais promovidos por igrejas batistas (Foto: Divulgação)Olarte se comprometeu em apoiar projetos assistenciais promovidos por igrejas batistas (Foto: Divulgação)
Após encontro com pastores, prefeito adotou uma cruz na lapela (Foto: Cleber Gellio)Após encontro com pastores, prefeito adotou uma cruz na lapela (Foto: Cleber Gellio)

Em reunião com pastores batistas, o prefeito de Campo Grande, Gilmar Olarte (PP), voltou a dizer que está no cargo por "obra de Deus" e que os evangélicos vão "deixar de receber migalhas" do poder público. Ele garantiu, na reunião realizada na segunda-feira à noite e divulgada hoje pela assessoria da igreja, que vai priorizar a execução de projetos assistenciais realizados pelas igrejas evangélicas.

"Sou prefeito de Campo Grande hoje porque Deus mandou. Foi Ele quem me colocou no cargo para que os evangélicos parem de receber migalhas”, disse Olarte, segundo texto divulgado hoje pela assessoria do evento. Na ocasião, ele recebeu uma cruz que carrega na lapela e uma bíblia.

Para o presidente da Comissão de Fé, Cidadania e Ação Política da Convenção Batista Sul-mato-grossense, Sérgio Nogueira, o objetivo da reunião foi se aproximar do prefeito em busca de recursos e alinhamento dos projetos assistenciais aos parâmetros da SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social).

“Tivemos dificuldades na outra gestão por não haver abertura para apresentação de projetos. Hoje são mais de 20 sendo realizados em Campo Grande e buscamos parceria com o Executivo, dentro dos critérios estabelecidos pela SAS”, comenta Nogueira.

Ontem, o prefeito se reuniu com o arcebispo metropolitano de Campo Grande, Dom Dimas Lara Barbosa, e também ouviu queixas sobre a liberação de recursos para projetos sociais da Igreja Católica. Na ocasião, Olarte garantiu que "governa para todos" e prometeu agilizar a ação do poder público, incluindo a ajuda ao Asilo São João Bosco, agora, denominado Recanto Dom Bosco.

Olarte diz que prioriza parcerias com instituições religiosas pelo histórico que possui na área de assistência desde 1986, quando atuava na recuperação de dependentes de drogas e álcool. Ele citou esse fato para que nomeasse Janete Belini Doliveira para comandar a Secretaria de Assistência Social.

A aproximação dos segmentos religiosos, de acordo com Olarte, demonstra que sua premissa é “respeitar todas as crenças e culturas, pois ali sou gestor”.

Nesse sentido, Nogueira lembra que embora o prefeito seja pastor evangélico, isso não é impeditivo para que cumpra seu papel como governante.

“Precisa olhar toda a sociedade sem diferenciação de religiões. Se as igrejas pregam que devem fazer o bem, necessitam fazer parcerias com o Poder Executivo, a fim de atender as necessidades das pessoas”, ressalta.

Câmara adia de novo votação da PEC que cria distritão e fundo eleitoral
Após várias tentativas de votação nesta terça-feira (22), a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03, que altera o sistema político-e...
Câmara aprova parcelamento de dívidas de Estados e municípios com o INSS
A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, 22, em plenário, a medida provisória 778/2017, que permite Estados e municípios parcelarem...



BOA NOITE ! Realmente os tempos mudaram, mas a atitude dos homens continua a mesma , homens que pensam em fazer o bem continuam fazendo o bem , homens que pensam em fazer o mal continuam fazendo o mal, como assim?: Imaginem só quantos do tipo como esses que fazem comentario contrario , que fazer critica antes de ter argumento para julgar, JOSE DO EGITO , assim mais conhecido , teve que enfrentar para mostrar que ele era o homem certo para comandar as coisas do faraó, agora pensem JOSE , na casa do faraó vivendo e curtindo do bom e do melhor e não lembrar do seus irmãos ., Dai vem uma pergunta ., então para que DEUS , o teria colocado em uma posição previlegiada se não fosse para ajudar e salvar os seus., que naquele periodo , tambem viviam de migalhas. IGREJA vamos orar por esse homem.
 
ANTONIO RODRIGUES em 26/03/2014 21:47:54
Esse sujeito o "novo prefeito", usa a palavra evangélicos dando a entender que sua gestão terá como prioridade os seus, a começar pelos vereadores que quase em sua maioria são evangélicos. Nada contra, mas isso não deveria ter tanto destaque como ele está querendo impor.
 
Valquiria Santos em 26/03/2014 20:04:23
A frase do Sr. Prefeito "Sou prefeito de Campo Grande hoje porque Deus mandou. Foi Ele quem me colocou no cargo para que os evangélicos parem de receber migalhas" foi no mínimo infeliz!!! O poder, como se vê, já subiu à cabeça do novo alcaide, ainda que com tão poucos dias no comando da prefeitura da capital! E imaginar que ele foi um escolhido de Deus para o cargo é o cúmulo da pretensão!!! E completar dizendo que Deus o colocou no cargo para que os evangélicos parem de receber migalhas é afirmar que para Deus só existem os evangélicos!! Não tenho nada contra os evangélicos em geral, muito pelo contrário, o trabalho deles é importante e necessário! Mas daí ao comentário do Sr. Prefeito vai uma grande distância!! Lamentável!!
 
Augusto Mercado em 26/03/2014 17:18:56
Meu Deus!!! Mas será que o povo só sabe reclamar?!? Independente de qual seja a religião do novo prefeito, o que importa é que ele está tentando fazer algo pela capital, aliás, efetivamente aparecendo e falando o que deve ser feito, até onde li na matéria, a priorização diz respeito a EXECUÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS em parceria com o executivo. Será que aqueles que estão julgando esta iniciativa tem algum filho ou ente querido envolvido com drogas ou álcool??? Muito provavelmente não!! Destoa da realidade destes que se intitulam os politicamente corretos. É fácil sentar e julgar, difícil mesmo é levantar e tomar a frente de algum projeto em benefício do próximo.
 
CRISTIANE PEREIRA DA SILVA em 26/03/2014 17:16:49
No momento em que li que o novo prefeito era fundador de uma igreja evangélica, eu soube que isso ia acontecer mais cedo ou mais tarde. E acabou acontecendo absurdamente cedo.
Por isso defendo que quando um prefeito ou presidente são cassados, deveriam realizar novas eleições. A verdade é que não votamos no vice - ele sempre vem no "pacote". O Bernal ainda tinha o argumento "mais de 200 mil pessoas votaram em mim". Destes mais de 200 mil, quantos teriam votado neste novo prefeito?
 
Leandro Batista em 26/03/2014 16:23:37
Esse sujeito deveria se expressar com outras palavras, falando assim dá margem para outras interpretações.
 
Valquiria Santos em 26/03/2014 12:43:00
Dizer q vai priorizar a execução de projetos assistenciais realizados pelas igrejas evangélicas, mostra totalmente a imparcialidade do atual prefeito...lamentável.
 
Eder Oliveira de Mattos em 26/03/2014 11:38:46
A politica hoje em dia esquece que nosso país é um estado laico, ou seja, uma nação com posição neutra no campo religioso. Isso de priorizar uma determinada religião é totalmente errado aos olhos da lei! Beneficiar ONG's e instituições sociais é uma ótima proposta, porém privilegiar aquele de uma determinada religião é muita sacanagem, a prioridade deve ser dada a aquelas que não conseguem captar recursos para se manter, querendo ou não as igrejas, tanto católica quanto evangélica, tem uma ampla captação de recursos e não deve se envolver com a politica do Estado!
 
allyson mendes em 26/03/2014 11:34:26
OK,melhorar a saúde de Campo Grande até concordo,mas falar que está na prefeitura é obra de Deus???Será que foi Deus quem articulou contra o Bernal para favorecer um articulador do Inferno??#sóquenão
 
Stephanie Gabelloni em 26/03/2014 11:11:23
* manda esse bando de pastor irem trabalhar , e outra a sociedade , o dinheiro publico , nao é obrigado a manter certos luxos . to falando esse olarte é mesmo um fantoche .
 
antonio gonçalves da silva em 26/03/2014 10:36:13
Acho que o Prefeito está confundindo as coisas...o governo é laico, o dinheiro que deve bancar esses projetos "sociais"...são os dízimos, é por isso que igrejas ainda continuam isentas de impostos...e não do erário público. Se a Igreja pega o dinheiro e manda pro Vaticano ao invés de investir no Asilo Dom Bosco...não é do dinheiro público que deve vir..tampouco para a Assembléia de Deus do qual representa...lembrando não foi deus que te colocou lá sim o voto do povo e estar como vice do Bernal. Só falta ele começar a orar para resolver problemas reais pedindo a seres imagináveis tapar buracos, aparecer remédios nos postos...etc...quando ficar doente vai para a Assembléia de Dues para curar ao invés de um hospital...kkkk
 
Eddie Alessandro Miranda Carvalho em 26/03/2014 10:34:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions