ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 34º

Política

Ex-secretário diz em áudio vazado que foi cobrada 'rachadinha' por indicação

Questionado sobre a situação, vereador acusado preferiu atacar a imprensa: 'vocês só querem denegrir'

Por Nyelder Rodrigues | 17/05/2021 16:57
Ex-secretário-geral da Casa acusa vereador Paulo da Pax de fazer a cobrança irregular (Foto: Divulgação)
Ex-secretário-geral da Casa acusa vereador Paulo da Pax de fazer a cobrança irregular (Foto: Divulgação)

Rachadinha. A cobrança de parte do salário de funcionários indicados é uma prática ilegal mas que infelizmente ainda é costumeira em gabinetes políticos brasileiros. E tal ilegalidade pode estar acontecendo mais uma vez, dessa vez em Ribas do Rio Pardo 0 cidade localizada a 100 km de Campo Grande.

Ao menos, é isso que conversa entre o ex-secretário-geral da Câmara Municipal local, Pedro Henrique Rodrigues Gaspar, e o atual presidente da Casa, Tiago Gomes de Oliveira, o Tiago do Zico (PSDB), expõe. O áudio com o diálogo foi revelado em matéria do jornal Rio Pardo News nesta segunda-feira (17).

No diálogo, o acusado de tentar tal prática é outro vereador, Paulo Henrique Pereira da Silva, o Paulo da Pax (DEM). Pedro diz que Paulo cobrou parte de seu salário por ter sido indicado pelo mesmo ao cargo de secretário-geral da Câmara.

O áudio começa com cumprimentos dos dois e, após Tiago questioná-lo sobre se estaria tudo bem, o presidente da Casa perguntou se ele estava se sentindo pressionado por Paulo da Pax - indicando que já havia algum rumor sobre o assunto circulando.

Depois, Tiago volta a ser enfático na pergunta sobre a rachadinha, respondida diretamente por Pedro com um "ele queria". "Fiquei dois anos aqui e nunca dei brecha", reclamou ainda o ex-secretário, exonerado do cargo no começo de março.

A reportagem entrou em contato com Tiago, que confirmou a autenticidade do áudio e que seu vazamento está sob investigação da Polícia Civil local, assim como o suposto caso de 'rachadinha'. Foi uma conversa minha com um funcionário que alguém gravou e soltou", comenta o presidente da Câmara rio-pardense.

"Não tenho nada a declarar, pois está sob investigação e em sigilo. Como presidente da Casa estava conversando com um funcionário. É um caso que não posso falar nada. Houve essa conversa, mas não significa que prove algo", destaca.

Outro procurado foi Paulo da Pax, que revelou estar surpreso com a situação e que ainda não foi intimado a prestar depoimento em delegacia e nem nenhum outro local. Contudo, demonstrou irritação com a sequência das perguntas.

"Vocês da imprensa só querem denegrir a imagem das pessoas", bradou antes de encerrar a ligação e após ser questionado sobre a veracidade do acusação exposta no áudio. A reportagem também procurou Pedro, mas não e encontrou para comentar os fatos. O espaço fica aberto para outras manifestações dos envolvidos.

O vídeo com o áudio foi publicado originalmente pelo site Rio Pardo News

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário