ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  01    CAMPO GRANDE 19º

Política

Expectativa é manter eleição para 4 de outubro, diz presidente do TRE-MS

João Maria Lós admite que se a crise agravar ao longo do ano, podem ser modificados os prazos e data do pleito

Por Leonardo Rocha | 31/03/2020 11:21
João Maria Lós durante audiência no TJ-MS (Foto: Divulgação\ TJ-MS)
João Maria Lós durante audiência no TJ-MS (Foto: Divulgação\ TJ-MS)

O presidente do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de MS), o desembargador João Maria Lós, afirmou que apesar da pandemia do coronavírus, a expectativa da Justiça Eleitoral ainda é realizar a eleição no dia 4 de outubro. Ele reconhece, no entanto, que se a crise agravar ao longo do ano, podem ser modificados os prazos e data do pleito.

“Conversei hoje (31) com o pessoal do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e por enquanto ainda trabalhamos com a data de 4 de outubro para as eleições, até porque os eventos maiores começam a ocorrer a partir de julho, e esperamos que depois de abril e maio, as coisas possam voltar a normalidade”, disse ele, em entrevista ao Campo Grande News.

Lós admite que já existe um estudo da Justiça Eleitoral em possíveis mudanças de prazos do calendário eleitoral, como por exemplo as datas de filiações, que terminam no próximo dia 4 de abril e as novas inscrições de eleitores. “Estas questões estão sendo analisadas”, pontuou.

O presidente, no entanto, reconhece que caso a pandemia dure por mais tempo e se agrave a situação no Brasil ao longo do ano, então a Justiça Eleitoral e as autoridades vão analisar uma possível mudança no dia do pleito, assim como seu calendário (eleitoral). “Se for acima do previsto (pandemia), pode se estender o dia do pleito para depois, mas por enquanto está mantido para dia 4 (outubro)”.

No Congresso Nacional já existe um debate travado para mudança da eleição, inclusive com a utilização do fundo eleitoral para o combate ao coronavírus. Alguns parlamentares inclusive defendem a unificação dos pleitos em 2022. Para modificar a data do pleito, precisa se aprovar mudança na Constituição Federal.

Até o momento não houve nenhuma alteração no calendário eleitoral.  A janela partidária termina no dia 4 de abril, mesmo prazo das filiações. Já as convenções vão de 20 de julho a 5 de agosto. A campanha segue de 16 de agosto a 3 de outubro.