A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

21/03/2017 15:22

Governo aposta em regionalização da saúde para combater gargalos do SUS

A ideia é instituir um novo modelo de gestão da saúde pública com os 79 municípios

Lucas Junot
Ao lado do secretário Nelson Tavares, Reinaldo Azambuja lembra que a Caravana da Saúde levou atendimento às pessoas, nos onze polos regionais e também deflagrou a reestruturação da saúde estadual (Foto: Chico Ribeiro/ Secom)Ao lado do secretário Nelson Tavares, Reinaldo Azambuja lembra que a Caravana da Saúde levou atendimento às pessoas, nos onze polos regionais e também deflagrou a reestruturação da saúde estadual (Foto: Chico Ribeiro/ Secom)

O governador Reinaldo Azambuja quer promover a pactuação regional da saúde entre o Estado e os municípios para otimizar recursos financeiros e reestruturar a rede de atendimento à população com planejamento e eficiência. A ideia é instituir um novo modelo de gestão da saúde pública com os 79 municípios.

“Estamos equipando os polos regionais, com mais leitos e aparelhos para exames complexos, e fazendo parcerias com a rede hospitalar, mas é preciso avançarmos mais, por isso estamos aqui abrindo esse diálogo com os prefeitos e definirmos qual a melhor política pública para a saúde”, disse o governador. Ele enfatizou que nesse momento de crise, onde a receita não cresce enquanto as demandas avolumam, é preciso construir consórcios e dividir responsabilidades.

De acordo com Azambuja, alguns gargalos fragilizam o SUS (Sistema Único de Saúde), motivo pelo qual a meta é a reestruturação da rede de saúde por meio da regionalização.

“Os gestores devem pensar para dentro da estrutura da saúde em seus municípios, alguns mantendo hospitais que apresentam baixam resolutividade a um custo altíssimo, o que nos parece inconcebível, enquanto a maioria está gestionando orçamentos de dois anos para cá, como faz o Estado”, alertou o governador. Segundo ele, nesse momento de dificuldades é preciso construir parcerias como alternativa para descomprimir os municípios e garantir uma saúde de qualidade.

Reinaldo Azambuja lembra que a Caravana da Saúde levou não apenas atendimento digno às pessoas, nos onze polos regionais, mas também deflagrou a reestruturação da saúde estadual e sua regionalização, que depende da compactuação dos municípios, como Amambai, Ivinhema e Fátima do Sul, onde hospitais locais estão realizado cirurgias eletivas por meio de parcerias com a secretaria de Saúde.

“Estamos implantando um polo de hemodiálise em Naviraí, vamos investir mais de R$ 4 milhões em Corumbá com a construção de uma nova unidade na Santa Casa, com 38 leitos, incluindo a UTI neonatal”, anunciou. “E enquanto não fica pronto o Hospital Regional de Dourados, cuja licitação vamos autorizar nos próximos dias, o Hospital São Luiz, locado pelo Estado, terá gestão de uma OS (organização social), para que melhore o atendimento e possa fazer até 600 cirurgias/mês”, completou.

Câmara adia de novo votação da PEC que cria distritão e fundo eleitoral
Após várias tentativas de votação nesta terça-feira (22), a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03, que altera o sistema político-e...
Câmara aprova parcelamento de dívidas de Estados e municípios com o INSS
A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, 22, em plenário, a medida provisória 778/2017, que permite Estados e municípios parcelarem...
Votação da PEC do fim das coligações será retomada nesta quarta-feira
A Comissão Especial da PEC 282/2016, que propõe o fim das coligações partidárias e estabelece cláusula de barreira, teve que suspender o processo de ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions