ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SÁBADO  06    CAMPO GRANDE 25º

Política

Governo do Estado troca comando da Agesul pela segunda vez em 15 dias

Márcio Katayama não ficou sequer uma quinzena no cargo e já sai, dando lugar a Emerson Marques Pereira

Por Nyelder Rodrigues | 25/01/2021 17:30
Sede da Seinfra, pasta a qual a Agesul está inserida (Foto: Ascom/GovMS)
Sede da Seinfra, pasta a qual a Agesul está inserida (Foto: Ascom/GovMS)

Após a saída do vice-governador Murilo Zauith da chefia da Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura), o Governo do Estado promoveu mais uma mudança no comando da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos), autarquia responsável por obras públicas de competência estadual, em todas as áreas do Poder Executivo.

Murilo foi exonerado na edição do dia 11 deste mês do DOE-MS (Diário Oficial do Estado de Mato Grosso do Sul), sendo designado para seu lugar Márcio Wagner Katayama, conforme o decreto assinado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB) no dia anterior.

Já na edição desta segunda-feira (25), o Governo do Estado traz decreto do dia 22 em que Katayama é substituído por Emerson Antonio Marques Pereira no cargo de diretor-presidente da agência e também como ordenador de despesas da mesma.

Katayama ficou no lugar de Luis Roberto Martins de Araújo, que saiu da chefia da Agesul para assumir interinamente o comando da Seinfra. Ligado a Murilo, Luis Roberto, assim como o vice-governador, também é de Dourados, maior cidade do interior.

Novo secretário - O troca-troca na Agesul faz lembrar que o Governo do Estado segue sem um novo fixo para a Seinfra, pasta que tem cerca de R$ 4 bilhões em obras em execução ou para serem realizadas ainda em todo o Mato Grosso do Sul.

Vários nomes para o comando da secretaria foram ventilados, como o deputado estadual e ex-diretor-presidente da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul), José Carlos Barbosa, o Barbosinha (DEM), e o presidente regional do Podemos e o do Rádio Clube, Sérgio Murilo. Contudo, o Governo não confirma nenhum deles.

O favorito para ocupar o posto é Marcelo Miglioli, que ficou no cargo no primeiro mandato de Reinaldo Azambuja (PSDB) à frente do Executivo sul-mato-grossense, mas após concorrer ao Senado em 2018, trocou o PSDB pelo Solidariedade e não retornou à cadeira. Em 2020, ele concorreu à prefeitura de Campo Grande.

Fontes consultadas pela reportagem do Campo Grande News em matéria publicada na semana passada garantiram que o retorno de Miglioli já é algo certo, faltando apenas detalhes a serem fechados no começo de fevereiro, quando ele retorna de viagem e Reinaldo volta de férias - o governador saiu oficialmente nessa segunda-feira (25).

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário