A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 19 de Julho de 2018

24/05/2012 13:25

Juiz extingue ações que suspenderam convenção do PDT

Aline dos Santos

Para magistrado, houve “incapacidade judicial”.

A Justiça extinguiu processos contra convenções municipal e estadual do PDT. A decisão, proferida nesta quinta-feira, é do juiz da 2ª Vara Cível de Campo Grande, Marcelo Câmara Rasslan. Os dois processos contra o PDT, que nesta eleição deve indicar o vice na chapa do PMDB, foram extintos sem julgamento de mérito.

Na primeira ação, a chapa “Frente de Renovação”, encabeçada pelo advogado Paulo Renato Dolzan, denunciou manipulação na eleição que reelegeu o vereador Paulo Pedra como presidente do PDT municipal.

Em março, o juiz Ricardo Galbiati, em substituição na Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, suspendeu em decisão liminar o resultado, deixando o PDT sem comando em Campo Grande. Dias depois, também a pedido de Dolzan, a Justiça suspendeu a convenção estadual do PDT. O evento político foi transformado em reunião.

No primeiro caso, o juiz Marcelo Rasslan decidiu que chapa de candidatos, desprovida de personalidade jurídica própria, não é reconhecida como sujeito de direitos e deveres na ordem jurídica. A situação foi enquadrada como “incapacidade judicial”.

O processo contra o diretório estadual do PDT foi extinto porque não indicou a ação principal a ser proposta. Neste caso, também foi cassada a liminar que proibia a convenção. O magistrado entendeu que não existe conexão com a ação anulatória do primeiro processo, pois são eleições distintas, uma em relação ao diretório municipal e outra em relação ao diretório estadual.

Polêmica - A eleição do diretório do PDT de Campo Grande foi realizada em 17 de dezembro, numa segunda tentativa. Inicialmente, a eleição aconteceria em 12 de novembro, mas foi suspensa por decisão judicial. Em seguida, houve um acordo. Contudo, Dolzan, após ser derrotado, alegou irregularidades.

De acordo com ele, o edital de convocação da convenção informava a existência de 3.056 filiados. Porém, no dia, foi exibida uma relação de apenas 2.952 nomes de eleitores filiados e aptos a participar e votar. Além da redução, conforme a denúncia, foram excluídos 241 eleitores filiados e, outros 173 novos nomes de filiados foram incluídos.

Erro em assinatura ameaça Convenção Estadual do PDT
Um erro classificado como “absurdo” pelo presidente da Comissão Provisória Estadual do PDT, Dagoberto Nogueira, pode comprometer a realização da Conv...
Processos eleitorais passam a ter prioridade na Justiça a partir desta 6ª-feira
A partir desta sexta-feira (20), os processos eleitorais ganharão prioridade na tramitação e julgamento em relação a outros –com exceção de habeas co...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions