A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Novembro de 2019

08/11/2019 17:09

Lula é solto com tumulto, beijo na namorada e ataque à Justiça

Ex-presidente foi colocado em liberdade depois de decisão do STF sobre prisão em segunda instância

Marta Ferreira
Lula discursa em frente à Polícia Federal. (Reprodução)Lula discursa em frente à Polícia Federal. (Reprodução)

Depois de 580 dias de cárcere, na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba (PR), foi liberado na tarde desde dia 8 de novembro o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, 74 anos. A soltura é reflexo de decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), que, por 6 a 5, concluiu na quinta-feira à noite (7) julgamento de ações que questionavam a execução de pena de condenados em segunda instância, situação de Lula. A saída teve tumulto, beijo do ex-presidente na namorada, Rosângela da Silva, e críticas à Justiça. 

Ao sair, Lula foi recebido por uma multidão, na frente da Polícia Federal na capital do Paraná. Ele discursou e agradeceu aos partidários que o apoiaram, nominando vários deles. Disse que “não poderia sair sem cumprimentar as pessoas que ficaram aqui 580 dias. Que mesmo que estivesse chovendo, davam bom dia. Mesmo se tivesse 40 graus, falavam boa tarde. Se tivesse zero grau continuavam aqui”. Já havia uma estrutura montada para isso.

"Eles prenderam o Lula, tentaram caçar uma ideia", discursou. Na fala, também disse que não vai "ser como Bolsonaro", a quem chamou de mentiroso, mesmo adjetivo atribuído ao ministro da Justiça, Sérgio Moro. Em liberdade, Lula fez ataques ao sistema judiciário. Disse haver um lado "podre da justiça", citando Ministério Público Federal, Polícia Federal, "que trabalharam para criminalizar o PT e o Lula".

Citou especificamente o ministo da Justiça Sérgio Moro, que o condenou quando juiz, ao falar de lado "mentiroso" da Polícia Federal e da Justiça.

Durante a fala, além dos gritos costumeiros de apoio, o público pediu que ele beijasse a namorada e o petista o fez. Por todo o tempo de permanência de Lula no local, apoiadores mantiveram acampamento e, desde a notícia de que a defesa havia pedido a liberdade e a justiça concedido liberdade, a aglomeração só aumentou.

O político anunciou, como já vinha sendo previsto, que vai percorrer o país a partir de agora. Antes, informou que vai se reunir com colegas de partido em São Paulo, no Sindicato dos Metalúrgicos, mesmo lugar onde preso em abril de 2018.

Porque saiu ? Na decisão de quinta-feira, aguardada há anos, o STF entendeu que, para cumprir pena, é preciso esperar o chamado trânsito em julgado, ou seja, quando todas as instâncias já foram superadas. Continuam valendo as prisões temporárias e preventivas, as chamadas cautelares, assim como a prisão em flagrante.

Ele cumpria pena pela condenação no caso do triplex do Guarujá (SP), um dos processos da Operação Lava Jato. A ordem de soltura foi do do juiz Danilo Pereira Júnior, após a defesa pedir a libertação do ex-presidente com base na decisão proferida pelo STF.

Cronologia - Em janeiro de 2018, a condenação de Lula, proferida em primeira instância pelo ex-juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça, foi confirmada e a pena aumentada pelo TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região). A pena imposta é de 12 anos e um mês de prisão - 8 anos e 4 meses pelo crime de corrupção passiva e 3 anos e 9 meses pela lavagem de dinheiro.

Em abril deste ano, a pena de corrupção foi reduzida pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) para 5 anos e seis meses, enquanto a de lavagem ficou em 3 anos e quatro meses, resultando nos 8 anos e 10 meses finais.

Além de Lula, a decisão do STF deverá beneficiar outros condenados na Lava Jato, como os ex-deputados Eduardo Cunha, José Dirceu, além do e ex-executivos de empreiteiras. Em todo o País, o CNJ (Conselho Nacional de Justiça estima que sejam 5 mil beneficiados. Não há dados em relação a Mato Grosso do Sul, informou o Conselho ao Campo Grande News.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions