ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, SÁBADO  04    CAMPO GRANDE 25º

Política

Lula pede para PT buscar alianças apesar do "favoritismo" para 2014

Por Edivaldo Bitencourt | 13/11/2013 09:19
Paulo Duarte acompanhou Lula em Corumbá e Campo Grande (Foto: Divulgação)
Paulo Duarte acompanhou Lula em Corumbá e Campo Grande (Foto: Divulgação)

O ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), é contra o lançamento de chapa pura pelo PT nas eleições de 2014. Durante jantar duas horas no Grand Park Hotel, em Campo Grande, com o senador Delcídio do Amaral (PT), o ex-governador Zeca do PT e o novo presidente estadual do partido, Paulo Duarte, ele aconselhou o partido a buscar aliança com o maior número de partidos possíveis para voltar ao comando do Governo do Estado em 2014.

Durante o encontro, os petistas expuseram a Lula o quadro e a conjuntura eleitoral no Estado. Eles falaram das divergências históricas com o PMDB, que já tem um pré-candidato a governador, o ex-prefeito da Capital e secretário estadual de Articulação com os Municípios, Nelson Trad Filho, e da proximidade com o PSDB.

“A exposição do Lula foi clara. O PT não deve ir com chapa pura, tem que fazer aliança apesar do favoritismo do senador Delcídio”, contou o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte. A recomendação foi feita em Corumbá, durante encontro com Delcídio e os deputados federais Antonio Carlos Biffi e Vander Loubet, e repetida à noite na reunião em Campo Grande.

Apesar do PSDB ser oposição ao Governo federal, Lula prometeu, conforme Duarte, não recomendar intervenção no PT em Mato Grosso do Sul para vetar eventual apoio à candidatura de Reinaldo Azambuja ao Senado. “Não vai ter intervenção”, garantiu Lula, no encontro.

Foi um jantar sobre política, mas os quatro destacaram que o cenário pode mudar até as eleições de outubro de 2014. No entanto, o PT ainda busca partidos para colocar no “ônibus” do senador Delcídio, que vem liderando as pesquisas de intenção de voto para 2014. Apesar do favoritismo, ele só obteve sinalização do PSDB.

PDT, PR e PSB, tradicionais parceiros, sinalizaram que podem fechar com o candidato do PMDB.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário