A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

23/06/2016 13:15

Maioria das metas foi cumprida ou está em andamento, avalia governo

Governo fez uma avaliação dos projetos e metas para 2016

Leonardo Rocha
Reunião foi com todos os secretários para avaliar metas para 2016 (Foto: Fernando Antunes)Reunião foi com todos os secretários para avaliar metas para 2016 (Foto: Fernando Antunes)
Eduardo Riedel disse que avaliação foi positiva e o governo ficou satisfeito (Foto: Fernando Antunes)Eduardo Riedel disse que avaliação foi positiva e o governo ficou satisfeito (Foto: Fernando Antunes)

O governo de Mato Grosso do Sul fez uma avaliação sobre as 201 metas das 13 secretariais estaduais para 2016. Chegou à conclusão que a maioria já foi cumprida ou está em andamento.

Pelas informações oficiais, apenas 25% dos projetos ficaram em atraso. Foi o que revelou o secretário estadual de Governo, Eduardo Riedel, que por este levantamento a equipe considerou os resultados satisfatórios.

Ele explicou que os projetos são do eixo social, desenvolvimento, infraestrutura e gestão. Entre os destaques, está a renegociação da dívida com a União, assim como o anúncio de ramal de gás natural em Três Lagoas. "Também evoluímos na questão das pontes de concretos, algumas em execução e outra em fase de licitação e na desburocratização da gestão pública".

Como porta-voz da reunião, Riedel disse que o foco do governo é não desperdiçar recursos públicos e fazer a entrega à população. Sobre os projetos em atraso, mencionou que o objetivo é identificar o problema. "Fazemos então a correção de rumo". Como exemplo citou as ações do Conselho de Governança e o Centro de Capacitação da Funtrab, em Três Lagoas. "Temos que melhorar os resultados".

Positivos - Sobre as metas cumpridas já neste ano, o secretário indicou o desenvolvimento na educação, as obras de infraestrutura que estão dentro do prazo, como as pontes de concreto em fase de licitação, assim como a divulgação do edital, que ocorre hoje (23), da primeira parceria público-privada do Estado, que vai ser na Sanesul, direcionado para área de esgoto.

Na economia, citou os investimentos de mais de R$ 37 bilhões da iniciativa privada, em diversos setores, como a duplicação de unidades de celulose, projetos de frigoríficos bovino, suíno e de aves, assim como na área de esmagamento de grãos, da empresa chinesa BBCA, em Maracaju. "Só neste empreendimento serão mais de 500 empregos".

A renegociação da dívida também vai viabilizar recursos para cobrir o déficit fiscal e colocar projetos em andamentos, que segundo ele, estavam contingenciados por conta de orçamento. "Exemplo é a capacitação de professores em pós-graduação, para melhorar nota do Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

Sobre a diminuição de impostos, e desoneração em alguns setores, o secretário disse que aina não existe um plano definido e que o assunto vai passar por estudo e análise da Secretaria Estadual de Fazenda. "Vamos avaliar com calma, para depois anunciar as mudanças".

Desafio - Riedel citou a preocupação com o setor previdenciário, que estava na pauta da reunião. "O recurso da dívida vai cobrir parte deste déficit, mas não pode ser usado só para isto, temos que pensar o assunto a longo prazo, mas qualquer mudança será falado com os servidores".

Obras - O secretário estadual de Infraestrutura, Marcelo Miglioli, anunciou no fim da reunião, que deve ser lançado em breve um planejamento de obras até 2018. Este investimento próprio vai girar em torno de R$ 2 bilhões. "Tem projetos de pavimentação de rodovias e área urbana, manutenção e recapeamento, que vamos divulgar em detalhes para a população".



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions