ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  15    CAMPO GRANDE 23º

Política

Mario Cesar orienta que Processante apresente ainda mais isenção do que CPI

Por Kleber Clajus | 24/10/2013 14:33
Presidente da Casa de Leis acredita Comissão terá que ser isenta para afastar fantasma de que só quer a cassação de Bernal (Foto: Cleber Gellio)
Presidente da Casa de Leis acredita Comissão terá que ser isenta para afastar fantasma de que só quer a cassação de Bernal (Foto: Cleber Gellio)

Mario Cesar orienta que Processante apresente ainda mais isenção do que CPIO presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, Mario Cesar (PMDB), tem orientado os componentes da Comissão Processante a trabalharem com máxima isenção, até para afastar o juízo de que o processo visa apenas cassar o mandato do prefeito Alcides Bernal (PP).

“Queremos manter a comissão isenta sobre para onde caminham suas conclusões. Sem se antecipar”, pontua Mario que se reuniu ontem (23) com o presidente da Comissão, Edil Albuquerque (PMDB), o relator Flávio César (PT do B) e o membro Alceu Bueno (PSL).

Em comparação as declarações dadas durante a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Calote, Mario pondera que “não querendo fazer juízo de valor, a Processante precisa de mais isenção do que a CPI para quebrar a ideia de que se trata de perseguição política”.

Mudanças na base – Sobre as mudanças na base do prefeito, o presidente da Casa de Leis lembra ainda que “não é dando secretarias que se resolvem os problemas da Já Gás, Salute e Megaserv”.

Ele ainda defende que os partidos também precisam definir, antes de fechar apoio a Bernal, o que fazer com as irregularidades apontadas pela CPI do Calote ou se elas não aconteceram.

“Não posso concordar com processo meramente político”, ressalta Mario.

Nos siga no Google Notícias