A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

30/08/2011 16:56

Marun diz que não aceitaria ser vice na disputa pela prefeitura na Capital

Fabiano Arruda

O secretário de Habitação, Carlos Marun, afirmou nesta terça-feira, durante passagem pela Assembleia Legislativa, que não aceitaria ser vice de chapa na disputa a prefeitura de Campo Grande na eleição do ano que vem.

Para ele não seria vantajoso deixar o trabalho à frente da secretaria para ser vice-prefeito, no entanto, declarou “ser soldado do PMDB”.

Marun bem como o vereador Paulo Siufi e o vice-prefeito Edil Albuquerque são apontados como os nomes do PMDB para a disputa, contudo, recentemente, a cúpula da legenda começou a admitir a possibilidade de apoiar candidato de outra sigla como vice. O nome mais forte é do deputado federal Edson Giroto do PR.

O secretário de Habitação participou ontem de encontro da executiva estadual do PMDB e revelou que o partido tem pelo menos 10 cidades em que terá candidato próprio. Municípios como Bataguassu, com o nome do deputado federal Akira Otsubo, e Ponta Porã são as mais certas.

Em Dourados, segundo o deputado Eduardo Rocha, líder do PMDB na Assembleia Legislativa, a tendência é que o partido lance candidato próprio. Os deputados federais Marçal Filho e Geraldo Resende surgem como os maiores interessados na vaga.

Sobre Campo Grande, Rocha admite que apoiar o nome de Giroto seria uma boa opção já que o PR é partido aliado.

Já o deputado Marquinhos Trad acredita que as pesquisas serão determinantes para escolha do nome. Ele afirma que segue com esperanças e “crente em Deus” de que pode ser o candidato peemedebista no pleito.

“Minha candidatura não depende de questão legal ou moral. Meu único impedimento é um dispositivo constitucional que está para ser julgado na CCJ no Senado”, conta o parlamentar.

Segundo Marquinhos, o dispositivo desobrigaria o irmão, Nelsinho Trad, de renunciar seis meses antes o cargo de prefeito para que ele pudesse concorrer, obrigação jurídica vigente.

Trad espera se valer de um casuísmo nas regras eleitorais, que não permitem a candidatura de irmão de autoridade detentora de cargo eletivo. Para ter efeito, qualquer mudança na regra eleitoral deve ser aprovada um ano antes da eleição. A cada véspera de eleição o Congresso busca ajustar as regras do jogo.



Acredito que vice é uma palavra que não caia bem para o Marun. se for assim, ele que continue sendo secretario. ele deve ser é prefeito. agora certas pessoas, não tem o que fazer fica aqui falando coisas sem fundamento. sem conhecer o trabalho serio do Marun. Campo Grande precisa de um bom homem a sua frente. o povo pede, e a voz do povo é a voz de Deus. Marun contamos com vc em nossa capital.
 
Dom Molina em 01/09/2011 09:28:14
Ahh o marun tem que ser mesmo é prefeito! Se não for para prefeito melhor que ele fique no seu cargo fazzendo o que ele sempre fez bem feito!
 
Patrícia de Caloffi em 01/09/2011 01:06:59
Que bom que ele não deixar seu cargo para ser vice! Mostra que tem comprometimento naquilo que faz. Concordo que se for pra sair que seja para um cargo que ele possa fazer MAIS para ao Campograndense e não para ficar na vitrine. Parabéns Marun pela iniciativa, poucos políticos fariam isso.
 
Marcos Antonio Carvalho da Silva em 01/09/2011 01:04:40
Que arrogancia, hem? Esse gauchinho chegou ontem ao Estado; deram "corda" pra ele e agora quer viajar só se for ao lado da janela...
Encheram a bola dele que logo, mas logo mesmo, vai querer detoná-la na cara do seu criador.
Campo Grande tem excelente quadro para ocupar a prefeitura municipal. Creio que não necessitamos de aventureiros de outros pagos que, graças à estabilidade econômica que o país vive, vivem confundindo a opinião pública com obras oriundas de recursos federais.
E ainda diz ser um soldado do partido. Seria um soldado com patente de general? Isso não existe...
 
Pablo Ramenzzoni em 30/08/2011 06:50:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions