A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

15/02/2014 10:50

Mercadante fez reuniões com André e Delcídio para discutir aliança em MS

Edivaldo Bitencourt e Aliny Mary Dias
Puccinelli e Delcídio, durante solenidade na Famasul, participaram de reunião com ministro na quinta-feira (Foto: Marcos Ermínio)Puccinelli e Delcídio, durante solenidade na Famasul, participaram de reunião com ministro na quinta-feira (Foto: Marcos Ermínio)

O ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, realizou duas reuniões, na noite de quinta-feira (13), para discutir a aliança entre o PMDB e o PT em Mato Grosso do Sul. No mesmo dia, ele recebeu o governador André Puccinelli (PMDB) e o senador Delcídio do Amaral (PT).

Na manhã de hoje, durante evento na Famasul (Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), os dois fizeram mistério sobre o tema do encontro. “É segredo”, restringiu o peemedebista.

Delcídio, que é pré-candidato a governador pelo PT, fez questão de revelar que esperou o fim do encontro entre Puccinelli e Mercadante na ante-sala para participar da reunião com o ministro. No entanto, também fez mistério sobre o tema do encontro.

O petista só revelou que o encontro entre o governador e o chefe da Casa Civil foi intermediado pelo vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB). A presidente Dilma Rousseff (PT) não participou do encontro porque estava se preparando para uma viagem.

Puccinelli, que vem resistindo a pressão para disputar o Senado neste ano, pousou para fotos ao lado de Delcídio e do deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB), que é cotado para ser candidato a senador na chapa do petista.

Governador e senador fazem mistério sobre pedidos feitos por Mercadante (Foto: Marcos Ermínio)Governador e senador fazem mistério sobre pedidos feitos por Mercadante (Foto: Marcos Ermínio)

O clima entre os três era bastante amistoso. “Ele é meu amigo”, ressaltou Puccinelli, sobre o senador Delcídio.

A definição das alianças em Mato Grosso do Sul ainda depende de uma conversa com a presidente Dilma e o ex-presidente Lula, segundo Delcídio. O objetivo é superar as divergências nacionais para se coligar com os tucanos. O PT e o PSDB vetam a coligação entre as duas siglas nos estados.

Por outro lado, há a pressão da direção nacional do PT para uma aliança com o PMDB. Os petistas resistem a repetir a aliança no Estado. O PMDB já lançou a pré-candidatura a governador do secretário estadual de Articulação com os Municípios, Nelson Trad Filho, e a senadora, da vice-governadora Simone Tebet.



O PMDB tem luz própria em ms, o que o planalto quer que Delcídio seja governador de todo jeito, o André precisa ouvir as lideranças não pode decidir sozinho, e os eleitores vão serem consultados,caso aconteça, o candidato do PSDB pode ganhar de goleada..
 
milton veiga em 15/02/2014 17:34:43
O estado ganharia muito se a aliança fosse feita com o povo e para o povo, seguindo esta linha temos um nome excelente para o senado com Andre Puccinelli e para governador Delcidio Amaral, Girotto seria o melhor secretário de obras, a Simoni seria a procuradora ideal para o estado, Marum deputado federal eleito, zeca federal eleito, e claro a abertura para o PSDB com Reynaldo para uma escola de futuros politicos do estado, pois ele é novo e aguenta esperar e desenvolver melhor seus projetos.
A familia Trad de um modo geral devem também participar se realmente estiverem pensando "estado", o Nelsinho seria um execelente chefe de governo e assim como o Reynaldo também pode aguardar e voltar a prefeitura.
Só teremos mesmo que combinar isso com o povão!...(sic)
 
lilian Patricia Moura em 15/02/2014 16:59:57
Acordo entre as partes , eleitor é esquecido ......é obrigado a votar , enfrentar filas ....escolher o menos pior ? para o cidadão tudo isto é cruel .......e tudo continua a mesma coisa ...quando escolhe uma alternativa .....fica pior ainda ! a dúvida aumenta cada dia , enfim é a democracia ,mas é necessário uma mudança urgente nos partidos políticos e das leis eleitorais , eleição geral de quatro em quatro anos , de prefeito a presidente , de vereador a senador e redução do mandato de senador para quatro anos . Desta forma poderíamos ter verdadeira renovação de representantes , e o fim da releição de cargos executivos e legislativo , acabar com o político profissional e combater mais a corrupção , desta forma muitas manifestações públicas em todo Brasil ,poderiam diminuir ou acabar .
 
Paulo Roberto em 15/02/2014 15:24:29
Desde que o Delcídio seja vice do Nelsinho eu voto nessa aliança, caso contrário uma terceira via será bem vinda.
 
luiz carlos em 15/02/2014 12:40:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions