ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  08    CAMPO GRANDE 20º

Política

MP lança campanha de fiscalização e combate a crimes eleitorais

Campanha criada em MS será usada por outros estados, em sites, TV's e rádios

Por Mirian Machado | 01/08/2022 17:22
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Na bancada, responsáveis pela campanha. Ao fundo, posts que derão divulgados nas redes sociais. (Foto: Paulo Francis)
Na bancada, responsáveis pela campanha. Ao fundo, posts que derão divulgados nas redes sociais. (Foto: Paulo Francis)

O Ministério Público de Mato Grosso do Sul lançou nesta tarde (1°) a campanha “Ministério Público nas Eleições 2022”. A campanha, agora em âmbito nacional, quer reafirmar o papel de fiscalização do órgão durante todo o período eleitoral, desde os registros das candidaturas, até os resultados dos votos.

Segundo o procurador-geral de Justiça do MPMS, Alexandre Magno Benites de Lacerda, corrupção eleitoral, propaganda irregular e fake news são alguns dos alvos do órgão. “Toda denuncia que chega, vamos atuar e levaremos para a justiça eleitoral para medidas judiciais e até medidas criminais para responsabilização aqueles que abusarem da legislação”, explicou Lacerda.

As denúncias podem ser feitas pelo 127, na promotoria de justiça pessoalmente, ou pelos nossos canais de comunicação assim como na ouvidoria do MPMS e do Ministério Público Federal.

A campanha que será divulgada nos sites, jornais impressos, rádios e televisão, foi elaborada aqui no Estado de MS e segundo Promotor de Justiça do Núcleo Eleitoral Moisés Casarotto, todos os outros estados adotarão. “É uma campanha que mostra a sociedade o papel do MP de fiscalizar as eleições a gente sempre fez isso de forma independente, autônoma e vai fazer de novo nessas eleições. Os crimes, os abusos, a gente vai acompanhar todas as etapas", disse.

“Na última eleição por exemplo, foi uma eleição municipal difícil, em tempos de pandemia. Em MS, dos 79 municípios, 5 tiveram novas eleições. O MP atuou e acatou pessoas com ficha suja concorrendo que não podia concorrer e terminou com 5 novas eleições. Isso demonstra que o sistema funciona e que o Ministério Público está atento e vai processar qualquer pessoa que abusar de situações que não pode”, afirmou o procurador de Justiça Casarotto.

Sobre a insegurança da população ainda em relação as urnas, o procurador explica que serão feitos testes antes e na véspera das eleições. Este ano cerca de 20 urnas passarão feitas teste real na sede do TER (Tribunal Regional Eleitoral) de MS, filmadas e documentadas para mostrar que não há nada de irregular ou fraude.


Nos siga no Google Notícias