A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

11/07/2013 19:54

MPE decide suspender o contrato de alimentação e se diz sensível às ruas

Zemil Rocha
Humberto Brites anunciou que pediu a suspensão do contrato de alimentação (Foto: Arquivo)Humberto Brites anunciou que pediu a suspensão do contrato de alimentação (Foto: Arquivo)

O Ministério Público do Estado (MPE) decidiu suspender o pregão presencial nº 22/PGJ/2013, no valor de R$ 74.262,50, marcado para o próximo dia 18 de julho, às 14 horas nas dependências da Procuradoria-Geral de Justiça, no Jardim Veraneio, motivado em parte pela revolta dos servidores. O maior contrato, contudo, no valor de R$ 186.405,00, já está em execução, totalizando com aquele R$ 260 mil.

Humberto Brites justificou a decisão de propor a suspensão ao Conselho do Ministério Público Estadual, segundo a TV Morena, como decorrente da “sensibilidade” quanto aos anseios populares. No mês passado, manifestantes foram às ruas em Campo Grande pedindo, entre outras coisas, o fim de “lanches” na Câmara, que resolveu cancelar o contrato.

Ontem, o MPE alegou que os alimentos atendem ao consumo estimado e anual de aproximadamente 208 membros (Promotores e Procuradores de Justiça) e 1.632 servidores no geral, pessoas estas que trabalham nas unidades do Ministério Público localizadas nas 54 comarcas do Estado de Mato Grosso do Sul, que atendem a 79 municípios. “À vista deste total de pessoas atendidas (1.840), o custo mensal com o consumo desses produtos não ultrapassa R$ 11,00 (onze reais) por indivíduo”, afirmou na ocasião o MPE em nota.

Hoje, os servidores do Ministério Público demonstraram toda a sua revolta com seus chefes, ligando para jornais e o sindicato da categoria. A presidente da Sinsemp/MS (Sindicato dos Servidores do Ministério Público), Munira Tereza Esgaib Campos, revelou que recebeu pelo mais de 20 ligações. “Os servidores estão inconformados, não gostaram de ser atribuído a eles uma conta que não é deles”, afirmou ela. “O que os servidores consomem é água, chá e café; é o que tem para eles. Não tem cappucino, suco nada dessas coisas”, acrescentou.

A dirigente sindical explicou ainda que na conta de que 1.800 servidores estariam consumindo os alimentos, para justificar o gasto de R$ 186,4 mil, não é correto, já que 957 são estagiários.

Licitação suspensa - O objeto da nova licitação, agora suspensa, consistiria na contratação de empresa especializada no fornecimento de alimentação (lanches diversos e bebidas), para atender às necessidades do Ministério Público Estadual, pelo período de 12 meses.

Seriam cinco tipos de lanches e os preços orçados são os seguintes: tipo I, contendo 400 ml de bebida, dois salgados de tamanho médio, 250g de torta salgada e 150g de sobremesa, por R$ 26,96 cada uma das 450 unidades, no valor total de R$ 12.132,00; tipo II, com 400 ml de bebida, oito salgados tamanho coquetel, quatro doces e 150 g de bolo ou torta doce, com valor estimado de R$ 23,47 para cada um dos 350 kits, somando R$ 8.214,50; tipo III, que inclui 400 ml de bebida, 120g de frios, 40g de patê (no mínimo três tipos), oito pães, cinco torradas e quatro unidades de doces, sendo 350 unidades ao custo de R$ 31,94 cada, totalizando R$ 11.179,00; tipo IV, no valor total de R$ 30.006,00, sendo 900 lanches ao valor individual de R$ 33,34, que inclui 400 ml de bebida, três salgados de tamanho médio, dois sanduíches ou quatro mini sanduíches e 150g de sobremesa (normal ou diet); tipo V, com 400 ml de bebida, 45g de biscoito (no mínimo três tipos), dois sanduíches ou quatro mini sanduíches, 150g de bolo ou torta doce, sendo 350 kits ao custo unitário de R$ 25,73 e totalizadno R$ 8.655,50; e, por fim, o tipo VI, que custa R$ 10,65 a unidade e inclui 180 ml de iogurte, 100g de polpa de fruta para suco e 200g de fruta, perfazendo total de R$ 3.727,50, já que são 350 kits.

 

 

Sindicato diz que maioria dos servidores não ganha lanches do MPE
O Sindicato dos Servidores do Ministério Público de Mato Grosso do Sul (Sinsemp-MS) divulgou nota de esclarecimento nesta quarta-feira (10) asseguran...
MPE diz que valor de lanche é alto por servir a todos os 1,8 mil servidores
O Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul divulgou na tarde desta quarta-feira, através de nota de esclarecimento, informações sobre seus ...
Além de altos salários, membros do MPE também têm lanches luxuosos
Os gastos da Câmara de Campo Grande com lanches, que foi um dos alvos dos protestos de rua e levaram o presidente do Legislativo municipal a cancelar...


Que vergonha atribuir esses gastos ao demais funcionários sabendo que eles não podem relar nos tais lanches, que hipocrisia e falta de caráter.
 
Marcia França em 12/07/2013 14:48:12
O que mais dói, é que tem tantos precisando de um quilo de arroz ou um pedaço de carne, ou leite, e o salário não da para comprar, e essa classe com salário altíssimo e que podem comprar esses lanches até para toda sua família, tem coragem de dizer que é só isso que gastam, olhem quantos pedintes estão nas ruas, arrecadando moedinhas, porque na casa deles falta tudo, um trabalhador ganhando um salário mínimo, tem que rebolar para sustentar a família, e os bonitos se esbaldando com o dinheiro publico.
 
Teresa Moura em 12/07/2013 10:19:20
Quer dizer, não fosse a imprensa, a palhaçada continuaria. Falta de respeito com o cidadão, ainda mais porque vinda de quem tem por missão fiscalizar o cumprimento da lei.
 
Júlio Cruz em 12/07/2013 09:24:18
E convocar os aprovados no último concurso de servidores nada, né?

Resultado final publicado em 10/04/2013 e nada de homologação até hoje.
 
Guaraci Mendes em 12/07/2013 09:22:48
Todos sabemos que vão suspender temporariamente, até a poeira baixar, depois volta tudo. Ou então vão pegar esse dinheiro que já é do orçamento deles e darão outro aumento aos promotores como auxílio lanche, qualquer coisa assim. Quero ver se os Deuses do TJ farão o mesmo.
 
Rafael Santos em 12/07/2013 08:59:54
Caras de pau, estão mentindo iguais os políticos
 
Alex André de Souza em 12/07/2013 08:51:51
Tudo mentira, minha nossa político e funcionário concursado de alto escalão não falam a verdade nem sob ameaça mesmo, os servidores são proibidos de tocar na comida do café dos chefes, tem procurador, promotor e secretaria que faz marmita para levar pra casa, se alguém da limpeza relar em um salgado tá na rua por justa causa, sejamos honestos uma vez na vida doutores.......
 
moacir cafaro em 12/07/2013 08:46:32
Precisamos reconhecer a importância do CGnews neste caso. Noticiou um absurdo desses e a população teve onde se manifestar. O que o MP fez nada mais foi do que parar, não sabemos até quando, com esta pouca vergonha e não por "ouvir as ruas e se sensibilizar". O mérito aqui é do CGnews e do povo não do MP. Precisamos agora rever os dois meses de férias e 2/3 por férias não é senhores promotores? O povo não quer essa pouca vergonha também. Espero que se sensibilizem e mudem isso.
 
Gabriel de Guimarães Almeida em 12/07/2013 08:21:40
Eu diria que a palavra não é sensibilidade e sim respeito a quem paga seu salário. O Brasil nunca mais vai ser o mesmo de ontem. Ninguém vai fazer nós de palhaço como já fizeram esses anos todos.
 
luiz alves em 12/07/2013 07:28:37
Senhor Procurador, todo mundo sabe que nem tudo que é LEGAL É MORAL E ÉTICO. Um pouco de bom senso é saudável. Para lanche, o preço está bem salgado. Será que se o dinheiro saísse do próprio bolso vocês estariam dispostos a pagar essa conta e esse valor unitário?
 
jorge oliveira em 12/07/2013 07:15:26
Esse MPE parece ser tão corrupto quanto....
 
Filipe Alberto em 12/07/2013 06:24:17
Tem que cortar mesmo, na escola pública onde trabalho se quisermos tomar um cafezinho temos que fazer rateio para comprar.
 
Angela Mangini em 12/07/2013 00:01:26
Não precisava suspender!!! Poderiam reservar estes R$ 11.00 de seus gordos salários e custear este mimo! Mas quando o dinheiro sai do próprio bolso... ninguém quer.
 
João Czar em 11/07/2013 21:59:56
A população precisa ficar ciente banquete isto é uma vergonha, enquanto tem gente passando fome,,,
 
Valter Vieira Alves em 11/07/2013 21:47:29
Parabéns a vocês do C.Grande News e a toda imprensa, por tornar publico esse fato.
Confesso que sou bem informado, mas se não fosse através de vocês, nem saberia
que esses privilegiados estão comendo as custas dos que pagam imposto.
 
Reinaldo Sandim em 11/07/2013 21:41:39
"E a vergonha do que um país, estado, município, em decadência projeta ao seu povo"
 
paulo araujo em 11/07/2013 21:33:08
90% dos funcionários públicos ganham 1 salário mínimo e sem vale alimentação e os de alto escalão com salários monstruosos são privilegiados de todas as formas mesmo "roubando (não existe desvio de verba!)" do povo. Nosso país estaria em melhores condições com o Beira-Mar comandando. Pergunta na cadeia se no PCC eles aceitam estupradores, assaltantes(do povo), assassinos(de inocentes), se tem desvio de verba, etc...! Você verá que eles são bem mais estruturados e complacentes que o governo. Os figurões torrando a grana do povo e aqueles da base (1 salarinho só por 8horas diárias) nada! No mínimo um vale alimentação de R$200 ajudaria muitos!
 
Alexandre de Souza em 11/07/2013 21:27:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions