A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

24/07/2013 07:14

MPE requisita à Prefeitura documentos do pregão vencido pela Salute

Zemil Rocha
Sede da Salute funciona numa sala praticamente abandonada Sede da Salute funciona numa sala praticamente abandonada

O Ministério Público do Estado (MPE) já determinou à chefe da Central de Compras e Licitações (Cecom) da Prefeitura de Campo Grande, Gisaline de Carmo Penzo Barbosa, que, no prazo de 12 dias, encaminhe cópia integral do Pregão Presencial nº 033/2013 e do Processo 46837/2013-20, referente à contratação da empresa Salute Distribuidora de Alimentos Ltda para fornecer gêneros alimentícios aos Centros de Educação Infantil (Ceinfs) da cidade.

A providência integra alguns dos atos do procedimento preparatório 045/2013 instaurado pela 29ª Promotoria do Patrimônio Público e Social, chefiada por Fabrício Proença de Azambuja, que apura eventual ato de improbidade administrativa por parte do prefeito Alcides Bernal na contratação da Salute, considerada empresa de “fachada” por ter sido criada pouco antes do processo licitatório e ter capital social de apenas R$ 50 mil e mesmo assim obtido vitória num certame de R$ 1,5 milhão.

Fabrício Proença também já enviou o ofício ao presidente da Junta Comercial do Estado de Mato Grosso do Sul (Jucems), Wagner Bertoli, na semana passada, também com prazo de 12 dias, para enviar ao MPE cópia do Contrato Social da Salute, bem como possíveis alterações supervenientes.

A Salute foi contratada emergencialmente pela Prefeitura de Campo Grande para fornecer alimentos à Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), que os direcionaria aos Ceinfs (Centros de Educação Infantil). A empresa terá a incumbência de fornecer 43 itens de alimentos.

Há séria suspeita de que a Salute Distribuidora de Alimentos Ltda seja apenas uma empresa de “fachada”, visto que até mesmo sua sede, localizado na Rua das Garças n° 372 sala 3, parece abandonada. A última conta de energia elétrica do “escritório” da Salute custou R$ 33,00 e a de água, R$ 72, valores insignificantes para uma empresa que foi presenteada com um contrato milionário da Prefeitura de Campo Grande.

Um dos sócios proprietários da Salute Distribuidora de Alimentos Ltda, Érico Chezini Barreto, chegou a argumentar que a Salute terceirizou a tarefa de armazenar e transportar alimentos para os Ceinfs. Explicou que em abril a empresa foi criada e no mês seguinte já contratou a Bornholdt, na saída para São Paulo, para realizar a distribuição dos alimentos. O galpão antigo da Bornhaldt, mal cuidado, de 1.050 metros, fica ao lado da nova rodoviária de Campo Grande, na BR-163.

 

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...


que me desculpe o MPE mas esse bernal é igual gato tem 7 vidas , poxa o cara esta enfrentando vcs a lei parece que ele esta acima de tudo e de todos , vamos acabar com isso logo tira esse cara de lá antes que se torne um leao .



 
rosilene santos em 24/07/2013 12:18:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions