A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Agosto de 2017

01/05/2017 10:20

No dia do trabalhador, governo de MS destaca saldo na criação de empregos

O Caged apontou MS como o único Estado do País a registrar saldo positivo nos últimos 12 meses

Lucas Junot
Reinaldo Azambuja acredita que a concessão de incentivos é imprescindível para geração de empregos (Foto: Chico Ribeiro/AssCom)Reinaldo Azambuja acredita que a concessão de incentivos é imprescindível para geração de empregos (Foto: Chico Ribeiro/AssCom)

No dia do trabalhador, celebrado nesta segunda-feira, 1º de maio, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) destacou o balanço do Ministério do Trabalho, que aponta Mato Grosso do Sul como líder isolado no ranking de postos de trabalho criados nos últimos 12 meses, entre abril de 2016 e março deste ano.

O bom resultado, segundo Azambuja, está no desempenho das atividades econômicas, estimuladas por um conjunto de ações, entre elas, a política de incentivos, que condiciona a concessão de benefícios fiscais aos empreendimentos que se instalam no Estado à geração de empregos e compromissos com os princípios socioambientais.

Reinaldo classificou como “motivador” o fato de que o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) apontou Mato Grosso do Sul como o único Estado em todo País a registrar saldo positivo no período de um ano. Segundo o governador, “é um forte motivo para comemorarmos”.

A liderança no ranking do emprego é reforçada pela estatística de desemprego. No primeiro trimestre, deste ano, a taxa de desemprego caiu 1,45%, de acordo com levantamento do Ministério do Trabalho.

Reinaldo Azambuja afirma que Mato Grosso do Sul ainda se mantém atrativo aos investimentos da iniciativa privada e, apesar da crise econômico financeira do País, o processo de expansão industrial não retraiu. Alguns fatores, segundo o governador, contribuem para que a economia do Estado mantenha ativa, como a solidez fiscal, que “cria um ambiente de confiança, fundamental para efetivação de investimentos”, além da força da base econômica do Estado, representada pela agropecuária, comércio, serviços e indústria de transformação.

“O ritmo da nossa economia tem empurrado as estatísticas de emprego para cima, há uma crise instalada no País, mas em Mato Grosso do Sul os sinais de crescimento são reais. Quem investe no Estado é bem tratado, tem o compromisso do governo no suporte de infraestrutura e logística e o Estado está se consolidando como polo de produção de alimentos, celulose e manufaturados. Nosso potencial de exportação é grande, principalmente em razão das commodities agrícolas e minérios”, declarou o governador.

De acordo com o levantamento do Ministério do Trabalho, nos demais estados o saldo de empregos entre abril de 2016 e março de 2017 foi negativo. Houve mais demissões do que contratações. Nas grandes regiões metropolitanas, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, foram extintos de 84 mil a 314 mil postos de trabalho.

Pelo balanço mensal, no mês de março, comparado ao mesmo mês de 2016, o crescimento de vagas de emprego foi de mais de 560%. Em relação ao trimestre, janeiro a março, o Estado ficou em terceiro no ranking da geração de emprego, atrás apenas do Rio Grande do Sul e de Goiás, estados com economia forte. Neste trimestre, além de MS, RS e GO, apenas Tocantins e Paraná tiveram resultado positivo.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions