A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

02/02/2015 09:28

Olarte admite gerência dos sacrifícios e promete iniciar ano de obras

Aline dos Santos
Prefeito há onze meses, Olarte enviou hoje sua primeira mensagem aos vereadores para abertura do ano legislativo. (Foto: Marcos Ermínio)Prefeito há onze meses, Olarte enviou hoje sua primeira mensagem aos vereadores para abertura do ano legislativo. (Foto: Marcos Ermínio)

Com onze meses no comando de Campo Grande, o prefeito Gilmar Olarte (PP) afirma que deixou a dever à população em 2014, atribuiu a situação ao amargo remédio de pôr a casa em ordem e promete obras nesses dois anos de mandatos. Esse é o tom da primeira mensagem que envia à Câmara Municipal, onde, nesta segunda-feira, os vereadores retomam as atividades legislativas.

“Temos consciência que em 2014 ficamos a dever maiores resultados à imensa maioria dos campo-grandenses, que ansiavam legitimamente por mais infraestrutura, ações sociais e novas oportunidade de emprego e renda”, afirma Olarte.

Segundo ele, a “gerência dos sacrifícios” não foi uma escolha, mas única alternativa. O prefeito assumiu o comando da Capital em 13 de março de 2014, após a Câmara cassar o mandato de Alcides Bernal (PP).

De acordo com Olarte, mesmo com as dificuldades, foi possível expandir a rede habitacional, implantar a secretaria da Mulher, criar a secretaria de Segurança Pública, inaugurar Ceinfs (Centro de Educação Infantil) e implantar o Centro Municipal Pediátrico.

Na mensagem, o prefeito destaca que os recursos do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) – R$ 311 milhões na modalidade pavimentação e R$ 180 milhões para mobilidade - vão tirar do papel grandes obras. A promessa é executar projetos que há muitos anos estão na lista de prioridades.

Como o recapeamento de ruas no Centro, construção de novos quatro terminais de ônibus (Parati, Tiradentes, São Francisco e Cafezais), viaduto na rotatória da Coca Cola (confluência das avenidas Costa e Silva, Interlagos e Gury Marques) e Terminal Intermodal de Cargas, também conhecido como Porto Seco.

“Nós temos a satisfação de mencionar que estamos dando solução para todas as grandes obras que estavam paralisadas em Campo Grande”, diz o prefeito.

Asfalto novo – De acordo com Olarte, 2015 será o ano de asfalto novo nas vias centrais de Campo Grande. “Nunca se viu tanto asfalto novo nas vias centrais de Campo Grande, como se verá a partir deste ano de 2015”.

Ele cita 14 pontos, como recapeamento da avenida Cônsul Assaf Trad (no trecho entre o terminal General Osório e o Bosque Shopping dos Ipês), avenida Bandeirantes (do terminal Bandeirantes até a avenida Afonso Pena), avenida Gury Marques (entre as avenidas Guaicurus e Olavo Vilela de Andrade), avenida Marechal Deodoro (do terminal Aero Rancho até a avenida Bandeirantes) e avenida Coronel Antonino (no trecho entre a rua Bahia e o terminal General Osório).

O recapeamento também deve passar por outros pontos críticos, chegando à avenida Mato Grosso, entre Ceará e a Calógeras; rua Bahia; rua 25 de Dezembro; e a avenida Calógeras.

Ainda conforme o prefeito, a administração municipal busca no CAF- Banco de Desenvolvimento da América Latina empréstimo de 70 milhões de dólares para recapeamento de mais 80 quilômetros de vias na Capital.

“Assim vamos aumentar a segurança no trânsito e diminuir os gastos com operações tapa buracos, um paliativo que consome nosso orçamento, mas que, nas atuais condições, é a única alternativa capaz de minimizar os danos da nossa ultrapassada malha viária”, salienta Olarte.

O tapa-buracos, que em 2015 deve consumir R$ 137,4 milhões, foi o protagonista de uma polêmica com repercussão nacional. Um vídeo mostra que o serviço foi executado em um trecho sem buraco. A justificativa, dada dias depois pelo funcionário da empreiteira, foi de que o trecho tinha fissura.

Milhões – A prefeitura vai desembolsar R$ 3 milhões para desapropriar 100 imóveis e concluir as obras no complexo Bálsamo. O projeto liga o anel rodoviário, no bairro Rita Vieira, à avenida Guaicurus e foi lançado em 2012. O poder público também fará desapropriações para concluir o macroanel rodoviário.

Na educação, está planejada a reforma e ampliação de escolas, sendo 60 novas salas de aulas em fase de licitação. Na área da Saúde, a administração municipal vai retomar neste mês as obras nas UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) Santa Mônica e Leblon. Também estão previstas reformas de postos de saúdes.

Na mensagem de sete páginas, o prefeito começa com uma citação do ex-presidente dos Estados Unidos, George Washington. “É impossível governar corretamente o mundo sem Deus e sem a Bíblia”. Ao término, o texto é de esperança. “Creiam, 2015 vai ser o ano da restauração dos nossos sonhos!”, diz Olarte.

Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...
Assembleia vota Orçamento de R$ 14,4 bilhões de 2018 na terça-feira
O Orçamento de R$ 14,4 bilhões do Governo de Mato Grosso do Sul para 2018 passará pela votação em segunda discussão na terça-feira (19) na Assembleia...


CONVERSA FIADA DE TODO POLITICO, QUANDO É PRESSIONADO E A CIDADE SE ACABANDO. NESTE TEMPO TODO, O QUE ELE FEZ? NADA... É SO VER BURACOS POR TODA PARTE E MUITO MAIS.
OLARTE, CERTEZA ABSOLUTA QUE VC NUNCA MAIS GANHA NADA EM CAMPO GRANDE. NEM PRA SINDICO. O ANTECESSOR SEU TB NAO FEZ NADA PRA C GRANDE. ESTAMOS PRECISANDO MESMO DE UM PREFEITO SERIO.
 
LUCIANO MARQUES em 02/02/2015 10:35:24
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions