A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

15/10/2013 08:40

Para votar Comissão Processante, Câmara limita acesso da população

Leonardo Rocha, Cleber Clajus e Edivaldo Bitencourt
Reforço na segurança e acesso limitado marcam dia de votação na Câmara (Foto: Cleber Gellio)Reforço na segurança e acesso limitado marcam dia de votação na Câmara (Foto: Cleber Gellio)

Com a perspectiva dos grupos contra e a favor do prefeito Alcides Bernal (PP) lotar a Câmara Municipal de Campo Grande nesta terça-feira (15), o acesso ao prédio será limitado. Além disso, devido ao clima de guerra, que já teve até protestante preso após brigar com vereador, a Polícia Militar e a Guarda Municipal reforçaram a segurança do prédio. 

Segundo o presidente da Câmara, Mario César Fonseca Oliveira (PMDB), o plenário da Casa de Leis tem 364 lugares, mas só serão permitidos o ingresso de 360 pessoas. Ele vai instalar telões para quem não tiver acesso ao prédio acompanhar a votação dos pedidos para instaurar a Comissão Processante contra Bernal. 

A PM está no local para fazer revista em quem for entrar no legislativo municipal. Todos serão revistados e aqueles que tiverem faixas de madeira ou qualquer objeto de risco serão vetados.

São 31 policiais militares, uma viatura do Grupo Tático, oito motocicletas e uma Furgão. Da Guarda Municipal, 11 agentes vão reforçar a segurança. Os guardas municipais vão ficar no interior da Câmara. 

Na terça-feira passada a sessão teve que ser interrompida pelo presidente da Casa por falta de segurança, e a votação sobre a possível abertura da Comissão Processante foi adiada para hoje. Na ocasião, os 700 manifestantes que foram ao local chegaram a jogar moedas nos vereadores, além de insultos e palavras de ofensa.

No entanto, na semana passada, apenas os defensores de Bernal foram ao prédio. Nesta terça-feira, os grupos de oposição também mobilizaram pessoas para pedir a cassação do mandato do prefeito.

Votos - Para aprovar a Comissão Processante, são necesários 20 dos 29 votos. No entanto, a base aliada de Bernal é formada por nove vereadores. Os aliados intensificaram os trabalhos nos últimos dias para ampliar essa base. Ontem, o líder do prefeito, vereador Marcos Alex (PT), garantiu o apoio de 12 dos 29 verereadores, o que garante a Bernal tranquilidade e o poder de veto a qualquer pedido de cassação. 

Após a instalação, a Comissão Procesante tem 90 dias para concluir os trabalhos e pode recomendar a cassação do prefeito. Para ser aprovado, o impeachment deve ter também 20 dos 29 votos. 

Manifestante é orientado a retirar pau de faixa ao entrar no legislativo (Cleber Gellio)Manifestante é orientado a retirar pau de faixa ao entrar no legislativo (Cleber Gellio)
PM colocou 31 policiais para reforçar segurança em dia de votação na Câmara (Foto: Cleber Gellio)PM colocou 31 policiais para reforçar segurança em dia de votação na Câmara (Foto: Cleber Gellio)


Esses vereadores precisam trabalhar em favor do povo, apresentar projetos para melhorar os bairros de nossa cidade, e não ficar com perseguição, dar apoio ao prefeito .
 
Ivone Aparecida Guimaraes em 15/10/2013 11:25:16
Gente!!! receber para ir lá brigar pelo Bernal deve ser bem fácil,precisamos saber quanto ele está pagando para cada pessoa !!! E se tiver algum vereador que não seja da base política,votar contra a gente vai marcar direitinho para não votar neles nas próximas eleições.O povo já está cansado de ver a nossa Bela Campo Grande ir para o buraco,vamos nos mexer ,porque daqui alguns meses nem os salários dos servidores ele vai pagar e o décimo? Pode ter certeza que a plenária de hoje vai ser pura baixaria do povão que está sendo pago.Tomem cuidado...
 
Cleide de Moraes em 15/10/2013 10:03:10
ou seja...se são servidores públicos em horário de expediente, estão errados.360 pessoas que não tem o que fazer e vão para a câmara fazer baderna.
 
Carlos Henrique em 15/10/2013 09:06:12
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions