ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  22    CAMPO GRANDE 24º

Política

Parte da bancada federal de MS assina pedido de CPMI dos atos de 8 de janeiro

Todos os 5 representantes do Estado da oposição no Congresso Nacional querem investigar atos antidemocráticos

Gabriela Couto e Renata Volpe | 28/02/2023 14:01
Radicais promoveram atos criminosos em Brasília (DF), em 8 de janeiro de 2023. (Foto: Joedson Alves/Agência Brasil)
Radicais promoveram atos criminosos em Brasília (DF), em 8 de janeiro de 2023. (Foto: Joedson Alves/Agência Brasil)

Deputados e senadores de Mato Grosso do Sul, que integram a oposição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), assinaram a CPMI (Comissão Parlamentar Mista de Inquérito) dos atos de 8 de janeiro, que ocasionou na depredação da Praça dos Três Poderes, no Congresso Nacional.

Os senadores Tereza Cristina (PP) e Nelsinho Trad (PSD), além dos deputados federais, Rodolfo Nogueira, Marcos Pollon, ambos do PL, e Luiz Ovando (PP), querem fazer o levantamento das pessoas presas no dia.

Nas redes sociais, Pollon afirmou que muita gente foi presa indevidamente e que foi feita uma prisão em massa. Ele ainda disse que a omissão cai sobre o presidente Lula e o ministro de Segurança Pública, Flávio Dino. “Isso é completamente absurdo, ilegal e a gente que fazer o levantamento das pessoas presas indevidamente, apurar as responsabilidades sobre o fato”, acrescentou.

Vale acrescentar que a senadora Soraya Thronicke (União Brasil), que foi a primeira do senado a apresentar pedido de abertura de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar os atos antidemocráticos, não endossou o documento.

Nesta segunda (27), o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Gilmar Mendes, deu dez dias para que o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), explique o motivo de não ter aberto o procedimento.

Além de Thronicke, não assinaram o documento o restante da banca, composta pelos deputados federais Vander Loubet (PT), Camila Jara (PT), Geraldo Resende (PSDB), Beto Pereira (PSDB) e Dagoberto Nogueira (PSDB).

Nos siga no Google Notícias