A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

04/05/2010 13:38

Pesquisa mostra André com 54,4% e Zeca do PT com 32,9%

Redação

O governador André Puccinelli (PMDB) seria reeleito, se as eleições fossem hoje, com 54,5% dos votos. Seu adversário, Zeca do PT, ficaria com 32,9%. A eleição, portanto, seria de apenas um turno. Os números foram divulgados pela Brasmarket.

 

Não sabem em qual dos dois votar, 7,1% dos eleitores entrevistados. Não votariam em nenhum deles, 5,7%.

Ainda considerando apenas os dois candidatos, Puccinelli tem 54,9% das intenções de voto em Campo Grande, cidade onde foi prefeito por duas vezes, e 54,2% dos votos no interior. Já Zeca tem 29,3% das intenções na Capital e 34,5% nas outras cidades pesquisadas.

 

O atual governador vence o candidato do PT em todas as faixas de renda e em todas as áreas de ocupação.  O melhor desempenho de André é entre os estudantes (65%) e Zeca entre os proprietários rurais (41,5%).

Das donas de casa consultadas, 52,2% preferem Puccinelli e 31,2% votam no ex-governador. Já 50,6% dos empresários votam em André, contra 37,2% que preferem Zeca. Entre os empregados, a vantagem de André é maior. Ele tem 59,8% das intenções de voto contra 28,4% de Zeca.

A menor aceitação de Puccinelli é entre os funcionários públicos (44,6%), mas ainda assim acima do índice do candidato adversário, que tem 36,5%. Já a pior avaliação de Zeca é entre os estudantes. Apenas 23,8% têm intenção de votar nele.

A pesquisa Brasmarket ouviu 1002 eleitores entre 28 de abril e 2 de maio em 22 municípios de Mato Grosso do Sul. A margem de erro é de 3,2% para mais ou para menos e o intervalo de confiança é de 95,5%. Ela foi registrada no TRE/MS sob o número 8745/2010 e no TSE sob o número 9971/2010.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions