ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  08    CAMPO GRANDE 20º

Política

Podemos fecha com Simone Tebet, mas em MS apoiará Soraya Thronicke à presidência

Presidente regional do Podemos, Sérgio Murilo, explica motivo da contrariedade à decisão nacional

Por Caroline Maldonado | 05/08/2022 08:34
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Deputada federal e candidata ao governo Rose Modesto (União Brasil) e a senadora candidata à presidência Soraya Thronicke . (Foto: Reprodução/Facebook)
Deputada federal e candidata ao governo Rose Modesto (União Brasil) e a senadora candidata à presidência Soraya Thronicke . (Foto: Reprodução/Facebook)

O Podemos quase fechou com o União Brasil nacionalmente, mas a falta de acordo entre os partidos no Paraná acabou impossibilitando a coligação. O União Brasil queria que o senador Álvaro Dias (Podemos) desistisse da reeleição, concorresse ao governo do Estado e apoiasse o ex-juiz e ex-ministro Sérgio Moro (União Brasil) para o Senado, mas Álvaro recusou.

Com isso, ontem (4) à noite, o Podemos fechou com a senadora e candidata à presidência, Simone Tebet (MDB). Ocorre que em MS, o partido já fechou com a deputada federal e candidata ao governo Rose Modesto (União Brasil).

Então, quem o Podemos vai apoiar para presidente aqui? A resposta é: Soraya Thronicke (União Brasil). E a explicação é simples.

Apesar da decisão nacional de apoiar Simone, o Podemos liberou MS para levar o nome de outra candidata, neste caso, Soraya, a pessoa que abriu as portas do União Brasil para o Podemos há pelo menos três anos, quando o partido já pensava em lançar a Rose.

Quem explica é o presidente regional do Podemos, Sérgio Murilo.

“A decisão tomada pela nacional foi de forma intempestiva, mesmo assim a presidente, nacional do Podemos, Renata Abreu, me ligou para perguntar sobre nosso apoiamento a candidata Rose pelo União e eu disse para ela que estamos há 3 anos com esse projeto para que ela seja candidata ao governo, mas por circunstância, nós optamos por permitir que ela, do Podemos, passasse para o União para ter mais estrutura”, detalhou Murilo, ao lembrar que Rose foi apoiada pelo Podemos, mesmo sem chegar a se filiar, quando deixou o PSDB.

Murilo faz questão de destacar que Simone tem todo respeito do partido em MS, apesar do desfecho diferente no Estado.

“Estamos ‘bem arrumadinho' em MS e mesmo com essa notícia nacional, seguimos no caminho que já traçamos anteriormente, que é acompanhar o União, que tem uma candidata de MS à presidência, que é a Soraya. Por afinidade política e compromissos anteriores, estamos liberados da nacional. Vamos caminhar com a senadora Soraya, até mesmo pelo gesto dela de ceder o partido para Rose ingressar e ser candidata ao governo”, comentou Murilo.

O vice de Rose é o produtor rural Alberto Schlatter (Podemos). “Alberto é um agricultor, conhecido pela especificidade no plantio de algodão , sendo um dos três maiores produtores de algodão do Brasil, com origem em Chapadão do Sul. Pela experiência dele, optamos por colocá-lo na chapa da Rose”, disse Murilo.

Soraya entrou na disputa à presidência, depois que o presidente do União Brasil, Luciano Bivar, desistiu de concorrer ao Planalto. Ele tentará se reeleger como deputado federal.

Nos siga no Google Notícias