A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

16/10/2013 19:53

Presidente diz que Comissão Processante nada tem a ver com a CPI do Calote

Zemil Rocha
Edil disse recebe amanhã as peças da denúncia contra Bernal (Foto: Cleber Gellio)Edil disse recebe amanhã as peças da denúncia contra Bernal (Foto: Cleber Gellio)

O presidente da Comissão Processante da Câmara de Campo Grande, vereador Edil Albuquerque (PMDB), informou nesta noite que todo o trabalho investigatório nada tem a ver com a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Calote. “O trabalho é em cima da denúncia dos empresários. Não tem nada a ver com a CPI. Não mexemos com isso”, garantiu Edil.

A Comissão Processante aprovada ontem pela Câmara, por 21 votos a oito, foi baseada em denúncia protocolada por dois empresários que são ex-aliados do prefeito Alcides Bernal (PP), Luis Pedro Gomes e Raimundo Nonato de Carvalho.

Indagado se os pontos principais da denuncia não foram feitos com base no relatório da CPI do Calote, Edil respondeu: “Se baseia em algumas coisas que a CPI analisou, mas tem outras coisas, Tem desdobramentos, coisas pessoais também”.

Edil Albuquerque revelou que conhece apenas parte da denúncia e que o aprofundamento será feito agora pela Comissão Processante. “Algumas coisas a gente conheceu, pois a denúncia foi aprovada por nós. Agora tenho que conhecer tudo”, apontou.

Hoje, Edil comandou a primeira reunião da Comissão Processante. ”Hoje foi para dar o norte das coisas. Ver decreto lei 201/64, que mostra o que devemos fazer”, informou o presidente. “Amanhã devo estar recebendo as peças da denúncia e aí tenho cinco dias para encaminhar para o prefeito e ele 10 dias para me devolver com a resposta”, revelou. Segundo Edil, o prefeito Alcides Bernal vai ter direito a sete testemunhas.

Esta manhã, durante entrevista coletiva, Bernal acusou os vereadores de terem feito uma “fraude” ao criar a Comissão Processante, a partir de relatório da CPI do Calote. Alegou que o encaminhamento de relatório é para o Ministério Público e Tribunal de Contas, não podendo os vereadores se investirem na função de julgadores. Avisou que vai ingressar na Justiça contra a comissão.

Já Edil Albuquerque deixou claro que a Comissão Processante nada tem a ver com a CPI, que, pela legislação, termina as investigações e encaminha as conclusões para o Ministério Público.

 



Olha, sinceramente, a situação aqui nesta cidade está crítica. Isso mostra que quando o legislativo quer afastar algum adversário, ele se empenha de todas as formas e não mede esforço. Por que não mostram todo esse empenho que estão tendo para a cassação do prefeito para o crescimento e desenvolvimento da cidade! Há tantas coisas emergenciais que requerem esse "ilustre empenho" que eles tiveram e que estão áté hoje sem solução. Têm obras de postos de saúde paradas, muitos bairros sem asfalto, etc. É verdade que essa função é do executivo, mas não vimos até agora nenhum projeto de relevante impacto para a sociedade campo-grandense. O ano já está acabando e a cidade e a população com os mesmos problemas. É lamentável isso, nós não merecemos isso.
 
Andrea Vieira em 20/10/2013 10:21:58
É, desde o começo do ano o prefeito da cidade não conseguiu trabalhar, foi só entrar na sala dele viu coisas erradas certamente, e quis consertar, mas, como todos os vereadores, certamente tem parte no que aconteceu nas gestões passadas, lutaram desde o começo, jogando para a imprensa que Bernal está roubando a cidade. Como alguém pode roubar em sua administração, se ainda nem começou a trabalhar???? essas corja de vereadores que já está aí por dois ou tres mandatos é que tem coisas a pagar. Por isso querem cassá-lo. Povo de Campo Grande onde estão os 270.000 eleitores que elegeram o prefeito?? Porque não fazemos uma grande passeata na cidade para ir contra essa pouca vergonha dessa câmara de vereadores?
 
ALBERTO DE AZEVEDO em 16/10/2013 20:38:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions