A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

13/11/2013 08:37

Processante começa a ouvir os primeiros depoimentos nesta quarta

Kleber Clajus
Vereadores iniciam processo de depoimentos para confirmar ou não denúncia de fabricação de emergência na administração Bernal (Foto: Marcos Ermínio)Vereadores iniciam processo de depoimentos para confirmar ou não denúncia de "fabricação de emergência" na administração Bernal (Foto: Marcos Ermínio)

A Comissão Processante começa, a partir das 9h desta terça-feira (13), a ouvir os primeiros depoimentos de empresários envolvidos na denúncia de suposta “fabricação de emergências” na administração do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). O chefe do Executivo anunciou, hoje, que uma equipe irá acompanhar os trabalhos no plenário Oliva Enciso, na Câmara Municipal.

O primeiro a prestar esclarecimentos, às 9h, será o proprietário da empresa Salute Distribuidora de Alimentos, Érico Chezini Barreto. A empresa foi contratada de forma emergencial e sem licitação, no valor de R$ 4,3 milhões, para o fornecimento de alimentos aos Ceinf’s (Centros de Educação Infantil) no período de quatro meses.

O contrato da prefeitura com a Salute foi questionado no relatório da CPI (Comissão Parlamentar) do Calote, documento que deu base à abertura da Processante. No dia 11 de novembro, a empresa desistiu de licitação para fornecimento do mesmo serviço.

Uma hora depois, às 10h, será a vez do representante da Jagás, Elton Luiz Crestani, prestar esclarecimentos. A empresa também foi contratada de forma emergencial para fornecer 9 mil botijões de gás de cozinha de 13 quilos e 5,4 mil de 45 quilos para a Secretaria Municipal de Assistência Social (SAS), Semed (Secretaria Municipal de Educação) e a Agetran (Agência Municipal de Trânsito), no valor total de R$ 101.977,00.

O contrato da Jagás foi firmado no momento em que interpunha recurso contra a empresa Mic Mar, durante o primeiro pregão da gestão Bernal iniciado em março.

No período da tarde também estão previstos o depoimento do representante da Megaserv, Milton Felice, além de Mamed Dib, proprietário da MDR Distribuidora de Alimentos.

Negativa – A Processante prossegue em seus trabalhos com a chancela da Justiça. Isso porque Bernal tentou com um mandato de segurança encerrar os trabalhos, mas o juiz da 1ª Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos de Campo Grande, Alexandre Tsuyoshi Ito, negou o pedido.

O grupo de investigação é presidido pelo vereador Edil Albuquerque (PMDB), tem relatoria de Flávio César (PT do B) e como membro Alceu Bueno (PSL).

A abertura da Comissão foi aprovada, no dia 15 de outubro, por 21 votos a oito na Câmara da Capital. O processo pode levar ao afastamento e cassação do prefeito, caso a denúncia protocolada pelos ex-integrantes do PP, Pedro Guimarães e Raimundo Nonato, seja confirmada. A decisão sobre o futuro de Bernal ainda deve passar novamente pelo Plenário.



Palavras e palavras são os argumentos do Prefeito e de seus seguidores....porque aquele que não tem nada a temer tranquilo fica. Hoje que constatamos são palavras contra documentos comprovatórios....o que será que vale para a justiça?
 
Carlos Miranda em 13/11/2013 11:17:36
Tá na hora de resolver logo essa situação porque campo grande está parado á saúde está ruim não tem como fazer exame medico por falta de material o secretário de saúde fala que tem material quando você chega a resposta e não
 
Jairo amarante da silva em 13/11/2013 11:08:41
Se mostrasse humilde pelo menos ao povo.
E também mal assessorado não souberam fazer nada.


 
Vilton Vera em 13/11/2013 11:01:56
Caro Regisnaldo Marin, quem não votou no Bernal ainda não engoliu a vitória dele.
Mas quem votou, agora vai engolir a derrota dele perante a Comissão Processante.
Até os eleitores do Bernal, esperavam que o cara tivesse alguma capacidade e competência para administrar nossa Cidade Morena.
Mas todos se decepcionaram, porque o cara é ruim demais.
Ele está "morto" poliiticamente e não adianta esperniar.
 
VALDIR VILLA NOVA em 13/11/2013 10:37:14
Se for necessária a contratação emergencial faça-se porém, com empresas sérias e a preços justos não como fez Bernal: Salute, Jagas e etcetera...
 
francisco manoel em 13/11/2013 10:27:51
O Bernal vai sair desta.
Creio que a turma que perderam as eleições passadas devem ter criado muitas situações embaraçosas para o novo prefeito, que foi obrigado a contratar de forma emergencial.
Creio também que se houve contratações de forma emergencial foi pensando na coletividade.
Tem muita gente que ainda não engoliu a vitória do Bernal. É isso que dá quando as pessoas perpetuam-se no poder e acham que são os donos dele. Acordem, já passou!!! Peito aberto, cabeça erguida, bola pra frente que atrás vem gente.
 
Regisnaldo Marin em 13/11/2013 09:59:33
Tomara que os puxa saco do Bernal, não atrapalhe os trabalhos da Comissão Processante, e não intimide as pessoas que farão seus depoimentos.
Felizmente o "reinado" do Bernal está chegando ao fim.
Nossa Cidade Morena vai respirar aliviada e sonhar com coisa melhor.
 
VALDIR VILLA NOVA em 13/11/2013 09:08:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions