A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

18/11/2015 09:35

Projeto do Governo acelera promoção e reduz tempo para praças da PM

Leonardo Rocha
Cabos e soldados reduzem tempo para promoção, além de mudança em critérios (Foto: Arquivo)Cabos e soldados reduzem tempo para promoção, além de mudança em critérios (Foto: Arquivo)

O governo estadual enviou projeto para Assembleia Legislativa que vai acelerar as promoções de cabos e soldados na Polícia Militar. Esta proposta foi acordada com categoria, que já reivindicava esta mudança há um bom tempo. Nesta alteração se diminui o tempo para ascensão na corporação, além de ter como critério a antiguidade.

O projeto reduz de oito para seis anos o tempo de serviço que o soldado precisa, para poder almejar sua promoção a cabo na Polícia Militar. "Quando ele completar este tempo, poderá pleitear a promoção, que vai depender da realização do curso, seleção e abertura de vagas", disse Edmar Soares, presidente da ACS (Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar de MS).

Segundo ele esta conquista vai acelerar as promoções na Policia Militar e que neste momento já existem quatro turmas de soldados aptas. "Passamos esta insatisfação para o governador que acatou o pedido, inclusive vai lançar em 2017 um calendário para estes cursos, atualmente era 60% de antiguidade e 40% mérito, agora vai ser 100% de antiguidade".

A expectativa é a realização dos cursos aos soldados, antes deles completarem os seis anos, sendo que dentro desta graduação, haverá por critério de notas a seleção para as vagas. "No curso, eles vão disputar entre eles quem fica a frente na antiguidade", explicou Edmar.

Na ascensão profissional de cabos para 3° sargento também houve uma mudança e diminuição do tempo, já que hoje se precisa de 12 anos de efetivo na Polícia Militar e quatro de interstício para promoção de antiguidade, neste novo projeto, diminui para 10 anos de efetivo, continuando os quatro (interstício).

O projeto segue agora para as comissões permanentes, para depois ser enviado ao plenário da Assembleia, onde se analisa primeiro sua legalidade e depois o mérito da matéria. Como existe um acordo entre a categoria e o governo estadual, a proposta deve ser aprovada com tranquilidade.

Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...
Senado aprova R$ 1,9 bi a estados para compensar desoneração de exportações
Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o obj...
Temer discutirá data de votação da reforma da Previdência nesta quinta
O anúncio do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que a votação da proposta de reforma da Previdência ficará para fevereiro causou r...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions