ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 28º

Política

Rejeição a Lula e Bolsonaro é quase a mesma em MS

Simone Tebet (MDB), que se apresenta ao País como alternativa à polarização, tem 7,3% das intenções de voto

Por Anahi Zurutuza | 05/08/2022 06:12
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Bolsonaro teria 39,5% e Lula 35,8% dos votos dos eleitores sul-mato-grossenses se eleiçoes fossem hoje (Fotos: Reprodução das redes sociais)
Bolsonaro teria 39,5% e Lula 35,8% dos votos dos eleitores sul-mato-grossenses se eleiçoes fossem hoje (Fotos: Reprodução das redes sociais)

Como no restante do País, Jair Bolsonaro (PL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) são os candidatos que polarizam a disputa pelos votos dos eleitores sul-mato-grossenses para presidente. Pesquisa do Instituto Novo Ibrape traz o presidente, candidato à reeleição, com ligeira vantagem em relação ao petista, que tentará volta ao cargo uma década depois de deixá-lo.

Conforme o levantamento, se as eleições fossem hoje, 39,5% do eleitorado de Mato Grosso do Sul depositaria o voto em Bolsonaro, enquanto 35,8% preferiria Lula. A senadora sul-mato-grossense, Simone Tebet (MDB), que se apresentou para o Brasil como alternativa à polarização – chamada de terceira via – está justamente no 3º lugar, com 7,3% das intenções de voto.

Pesquisa mostra Bolsonaro em primeiro e Lula no segundo lugar (Imagem: Novo Ibrape)
Pesquisa mostra Bolsonaro em primeiro e Lula no segundo lugar (Imagem: Novo Ibrape)

A vantagem de Simone é que ela quase não tem rejeição. Na pesquisa, apenas 1,9% dos entrevistados responderão que não votariam na emedebista de jeito nenhum.

O empate técnico neste quesito também é entre Lula e Bolsonaro, que aparecem com 36,7% e 35% de rejeição, respectivamente.

O Novo Ibrape entrevistou 2,1 mil pessoas com mais de 16 anos em 28 cidades sul-mato-grossenses, entre os dias 29 de julho e 3 de agosto. Conforme a pesquisa, registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob os números MS-02567/2022 e BR 00672/2022, a margem de erro é de 2% para mais ou para menos.

Nos siga no Google Notícias