A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

30/05/2012 12:33

Reunião entre deputados e André vai discutir corte de salário na Educação

Elverson Cardozo e Fabiano Arruda
Deputados reunidos na Mesa Diretora: corte de salário de servidores da Educação dominou sessão da Assembleia nesta quarta-feira. (Foto: Divulgação)Deputados reunidos na Mesa Diretora: corte de salário de servidores da Educação dominou sessão da Assembleia nesta quarta-feira. (Foto: Divulgação)

A Assembléia Legislativa trata como equívoco o desconto de um dia de salário dos servidores administrativos educação, como punição à paralisação feita em maio, durante a negociação salarial. O montante foi de R$ 60 mil, segundo dado apresentado na sessão de hoje, que foi dominada pelo assunto.

À época da mobilização, em que os servidores chegaram a dormir uma noite na Assembleia, os deputados estaduais anunciaram que não haveria corte de ponto. O presidente da Assembleia, Jerson Domingos (PMDB) disse que o desconto – descrito na folha de pagamento como “Falta Paralisação” - chegou a ser cogitado, mas acredita que ocorreu um equívoco após a negociação com o governador.

Para resolver o assunto, uma reunião foi marcada para hoje. O governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), que está em Brasília, deve chegar a tempo para o encontro, previsto para as 16h30.

Parlamentares utilizaram a tribuna para protestar. O deputado estadual Pedro Kemp (PT) criticou o governo pela postura e falou que vai orientar os servidores para que, da próxima vez, realizem manifestações em frente à Governadoria e não frente à Assembléia Legislativa.

O deputado Zé Teixeira (DEM) também criticou o governo e disse que o compromisso firmado deveria ser cumprido. Lauro David (PSB) ocupou a tribunal para dizer que a Assembléia Legislativa deve repensar seu papel e os deputados, por sua vez, pensar sobre o papel da oposição e da base.

Proposta- Marquinhos Trad (PMDB) afirmou que uma das alternativas para a situação seria descontar o valor do repasse do duodécimo à Assembléia. Sobre isso, Jerson Domingos disse que não seria necessário e sinalizou que iria se entender com o governador.

O presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Magno Botareli Cesar, esteve na Assembleia durante a manhã, para pedir um posicionamento dos deputados, quando ficou combinada a realização da reunião à tarde.



Interessante, deputados emendam sextas, segundas etc, e tem aumentos exorbitantes, professores que já ganham pouco mesmo repondo aula tem salário cortado, é isso que ganhamos por conta dos que fazem asneiras no dia da eleição a troco de qualquer coisa ou um mero sorriso falso.
 
Gisele Muniz em 30/05/2012 04:28:36
Eu não entendo esse posicionamento do governo. Os profissionais da educação, sim, suspenderam as atividades por um dia, porém, estes mesmos professores tiveram jornada de trabalho em um sábado no primeiro trimestre. Logo, é irônico dizer que eles não cumpriram o calendário ... apenas foi feita um transferência de dia letivo para um sábado ...
 
Thiago Frison em 30/05/2012 03:56:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions