A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 21 de Julho de 2018

16/12/2016 18:43

Torcida e protesto 'silencioso' marcam recepção de eleitos para diplomação

Richelieu de Carlo e Anahi Zurutuza
Três manifestantes protestam em frente ao Rubens Gil de Camillo onde acontece a diplomação dos vereadores, prefeito e vice eleitos. (Foto: Alcides Neto)Três manifestantes protestam em frente ao Rubens Gil de Camillo onde acontece a diplomação dos vereadores, prefeito e vice eleitos. (Foto: Alcides Neto)

O clima de torcida dos cabos eleitorais e simpatizantes do prefeito eleito da Capital, Marquinhos Trad (PSD), e um protesto "silencioso" de três manifestantes marcam os momentos anteriores a diplomação dos vereadores, prefeito e vice eleitos no pleito deste ano. O evento acontece no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, localizado no Parque dos Poderes, em Campo Grande.

Fazem parte do protesto a empresária Luciane Costadele, 44 anos, e seu marido, Claudemir Costadele, 52 anos, funcionário público federal. O terceiro membro do grupo é João Farias, 51 anos, que é cadeirante. Cada um carrega um cartaz com os dizeres: “Vereador = corrupção”, “Acorda, Campo Grande”, “Lama Asfáltica, Coffee Break impunidade”.

"Nós representamos os movimentos contra a corrupção. Esse é um momento de festa, mas as pessoas não podem esquecer que tem vereadores sendo diplomados sem terem as contas aprovadas", afirmou Luciane. "Algumas coisas ficaram esquecidas como a Coffee Break e a Lama Asfáltica, parece que a sociedade não acordou. O resultado das eleições mostra isso", complementou Claudemir Costadele.

Ambos questionaram o local onde ocorre a diplomação. "Não é justo a diplomação ser aqui. Durante a campanha, eles vão às regiões mais carentes, mas, na hora de oficializar, escolhem um lugar em que essas pessoas não têm acesso", finalizou Luciane.

Diplomação - Nesta noite, a Justiça Eleitoral diploma prefeito eleito, vice, 29 vereadores e 17 suplentes em Campo Grande. Segundo o órgão, o evento atesta que o candidato foi efetivamente eleito pelo povo e, por isso, está apto a tomar posse no cargo. De acordo com o Código Eleitoral, no diploma deve constar o nome do candidato, a indicação da legenda sob a qual concorreu, o cargo para o qual foi eleito ou a sua classificação como suplente.

Dos 29 vereadores eleitos na Capital, 14 tiveram as contas reprovadas
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) analisou a prestação de contas de todos os 29 vereadores eleitos em Campo Grande, reprov...
TRE aprova com ressalvas contas de Marquinhos e reprova vereadores
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) divulgou hoje (8) o parecer final sobre as contas do prefeito eleito em Campo Grande, Ma...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions