A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

28/06/2011 19:22

Tribunal de Justiça rebate informações do CNJ e repudia “alegoria”

Paulo Fernandes e Fabiano Arruda
Presidente do TJ/MS, Desembargador Luiz Carlos Santini nega que tenha havido licitação direcionada (Foto: Pedro Peralta)Presidente do TJ/MS, Desembargador Luiz Carlos Santini nega que tenha havido licitação direcionada (Foto: Pedro Peralta)

Em entrevista coletiva, o presidente do TJ/MS (Tribunal de Justiça), Desembargador Luiz Carlos Santini, rebateu as informações que constam no relatório do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), produzido a partir da inspeção feita na Justiça Estadual de Mato Grosso do Sul, no ano passado.

Santini disse que não irá admitir “alegoria”. “O Tribunal de Justiça, na parte administrativa, está aberto a qualquer exame, seja de qualquer entidade. Se tiver algo para reparar, nós vamos reparar. Só não vou admitir alegoria, se não tiver um fato contundente”, afirmou. “Se tiver licitação irregular será suspensa. Estamos prontos para sermos examinados”, acrescentou.

Sobre a acusação de o tribunal ter direcionado a licitação da folha de pagamento dos funcionários, Santini afirmou que “quem fez o relatório não leu o edital, se tivesse lido não teria dito isso”.

Ao contrário do que afirma o relatório, segundo Santini, não havia uma exigência de Banco Postal (o que é uma exclusividade do Bradesco) nas cidades com comarcas na Justiça; essa era apenas uma opção para o caso da não existência de agência bancária.

O presidente do TJ afirmou que as instituições públicas Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal não quiseram participar da licitação. A disputa ficou entre Bradesco e Santander, mas este último não tinha agência ou correspondente bancário em todas as comarcas.

O Bradesco foi o único interessado a preencher todos os requisitos. “Não teve direcionamento e eu vou dizer isso para o CNJ”, afirmou Santini.

Sobre a regra dos cargos, ele afirmou que, até 2014, metade dos funcionários serão concursados, conforme o CNJ determina.

Ele justifica que alguns funcionários comissionados (cargo de confiança) têm de 20 a 25 anos de experiência no tribunal e a demissão imediata deles poderia comprometer o funcionamento da Corte.

O desembargador afirma que é preciso ter pessoas de confiança em cargos como assessor de gabinete, assessor de desembargador e segurança, mas que em alguns casos a vacância de funcionários comissionados não será mais substituída, sem concurso. “Acho que entre 2012 e 2013, conseguimos resolver“.

De acordo com o relatório, dos 379 cargos em comissão existentes, 242, ou 63,9%, são ocupados por quem não possui qualquer vínculo com o Poder Judiciário ou com a administração pública.

Com relação ao auxílio-moradia dos desembargadores, Santini disse que o Conselho da Magistratura Nacional tem discutido com STF (Supremo Tribunal Federal) e espera posicionamento daquela Corte sobre o assunto.

O tribunal continua pagando auxílio-moradia a 11 desembargadores, mesmo eles tendo residência fixa em Campo Grande.

Já sobre a suspeita de recebimento de valores irregulares pelos magistrados, Santini afirmou que a única denúncia partiu da gravação feita com uma câmera escondida, na Operação Uragano, da Polícia Federal, em que o ex-deputado Ary Rigo fala de supostos repasses.

No entanto, segundo Santini, o único procedimento aberto foi arquivado porque o próprio Ary Rigo se desmentiu. “Está arquivado até que surjam novas provas. Como vou prosseguir, se o acusador desmentiu?”, questionou.

O presidente do TJ/MS afirmou ainda que a Corte em Mato Grosso do Sul é uma das mais ágeis em julgar os processos e que analisará cada uma das recomendações do CNJ.

Continua
Relatório do CNJ, após inspeção realizada na Justiça sul-mato-grossense, mostra como são fartas as regalias aos juizes. Segundo o Conselho, em um dos...
Tribunal de Justiça terá que prestar informações sobre precatórios
O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) determinou a instauração de um Pedido de Providência, para que o TJ/MS (Tribunal de Justiça), no prazo de 60 dia...
TJ paga auxilio-moradia a 11 magistrados e descumpre regra sobre comissionados
A Justiça de Mato Grosso do Sul está descumprindo regras do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) sobre pessoal, conforme relatório da vistoria feita no...


E alguem teria dúvida? Que Deus nos ajude.
 
valter antunes em 29/06/2011 11:06:43
Posso até acreditar na declaração do desembargador. Agora, dizer que a corte é uma das mais agil no país é brincadeira, pois tenho um processo há mmutos anos parado por morosidade e dizer que isso é justiça, é uma vergonha; poderia declarar logo que não vai mais decidir uma causa simplesmente fácil, pois a empresa deve mas não quer devolver o que foi pago e com a demora parce que o tribunal é condescendente.
 
Amauri Teixeira em 29/06/2011 09:42:51
Vocês já viram uma criança flagrada fazendo alguma traquinagem? Geralmente ela arruma uma desculpa qualquer para justificar seu ato e na mente dela (criança) está tudo resolvido. Assim pareceu o presidente do TJ/MS: dando uma desculpinha qualquer e pronto... está tudo resolvido, não há nada mais a ser feito, os comissionados, licitação suspeita, denúncias, tudo resolvido...
 
Adriano Roberto dos Santos em 29/06/2011 07:47:18
Em relação aos alguns funcionários comissionados que tem de 20 a 25 anos de experiência no tribunal, eles bem que poderiam ser efetivos! Para ficar tanto tempo. Um concurso público lhes garantiria estabilidade, não?
 
Carlos Alberto Cordeiro em 29/06/2011 06:44:50
"(...) alguns funcionários comissionados (cargo de confiança) têm de 20 a 25 anos de experiência no tribunal", disse o presidente do TJMS.
Jesus, rei da misericórdia!!
Esses senhores já estão aposentando, pendurados nessas tetas.
Faça-nos o favor, senhor presidente, faça-nos o favor....
 
Carlos Alberto de Oliveira Braga em 29/06/2011 01:10:43
EM TODAS AS CATEGORIAS, NÃO IMPORTA SE NO JUDICIÁRIO, EXECUTIVO OU LEGISLATÍVO, EXISTEM OS BONS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS E OS CORRUPTOS QUE USAM DO PODER PÚBLICO QUE EXERCE PARA SE AUTO BENEFICIAR. EM ALGUNS ÓRGÃOS A CORRUPÇÃO É MAIOR PORQUE O EFETIVO É MAIOR, MAS ESTÁ DENTRO DE UMA PERCENTAGEM GERAL. O QUE NOS PREOCUPA MUITO É NO CASO DO JUDICIÁRIO, PESSOAS QUE DECIDEM A VIDA DE MUITA GENTE, TAMBÉM ENVOLVIDAS EM SUJEIRAS DE VÁRIAS ESPÉCIES. A CONCLUSÃO QUE CHEGAMOS É QUE O SER HUMANO, NÃO IMPORTA A CAMADA SOCIAL A QUE PERTENCE, É REFÉM DO DINHEIRO FÁCIL.
,
 
INÁCIO ROCHA em 28/06/2011 11:49:47
"63,9%, são ocupados por quem não possui qualquer vínculo com o Poder Judiciário ou com a administração pública." Cabide de emprego em pleno 2011 não da pra aceitar. Moralidade no judiciário, já!
 
Antonio Rosa em 28/06/2011 08:53:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions