A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

05/05/2014 11:10

Veto de aliança deve acirrar disputa por aliados nas eleições deste ano

Leonardo Rocha
Depois do veto, partidos buscam novos aliados para formar chapas em MS (Foto: Divulgação)Depois do veto, partidos buscam novos aliados para formar chapas em MS (Foto: Divulgação)

Após o veto das direções nacionais do PT e PSDB para uma aliança “formal” em Mato Grosso do Sul, os dois partidos estão em busca de novos aliados para montar “chapas fortes” para eleição deste ano. O cenário deve ficar mais acirrado na busca por aliados, com a possibilidade de ter três candidatos na disputa do governo estadual.

Apesar da nota em conjunto do senador Delcídio do Amaral (PT) com o deputado (federal) Reinaldo Azambuja (PSDB) que fala em “projeto em comum”, com a possibilidade de uma “aliança informal”, a direção estadual dos dois partidos seguem outro discurso, ressaltando a necessidade de fazer novas parcerias, para fortalecer as legendas.

“O PT nos fez esta proposta de aliança informal, mas está muito longe do que o partido quer, esta possibilidade não cabe para nós, temos que seguir outro caminho que pode ser da candidatura própria”, afirmou o presidente estadual do PSDB, o deputado Marcio Monteiro.

Seguindo esta linha, o presidente estadual do PT, o prefeito Paulo Duarte, também ponderou que no momento o seu partido precisa buscar novas parcerias e vê com dificuldades esta “aliança informal” com o PSDB.

“Não podemos ficar dependentes do PSDB, não conseguimos a aliança formal, em função da disputa nacional, temos que seguir conversando com os outros, apesar de manter o diálogo com eles (PSDB)”, afirmou.

Duarte citou conversas adiantadas com PTB, PDT e PR e continua planejando uma “chapa forte” para disputa deste ano. “Conversamos com o Londres (Machado), (João Leite) Schimidt e com o Sérgio Longen, estamos nos articulando com estas legendas”.

Sérgio Longen, presidente da Fiems e filiado ao PTB, inclusive já foi citado como bom nome tanto para a disputa ao Senado ou até vice do Delcídio. “São alternativas importantes que não podemos descartar, até porque teremos que ter um candidato ao Senado”, disse Duarte.

Espera – O presidente estadual do PMDB, o deputado Junior Mochi, afirmou que o partido está reforçando seu bloco de aliados e se preparando para enfrentar dois ou três candidatos na disputa para o governo.

“Estamos fazendo a nossa parte, para nós é indiferente se o PT e o PSDB irão seguir juntos ou separados, vamos focar nossas ações em nosso time”. Mochi apenas ressaltou que a população não entenderia uma “aliança informal” entre as legendas, por estarem chapas diferentes.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions