A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

29/09/2014 15:55

Pais reclamam de risco nos brinquedos do Parque das Nações Indígenas

Adriano Fernandes
As crianças brincavam normalmente pelo local.(Foto:Repórter News)As crianças brincavam normalmente pelo local.(Foto:Repórter News)
As pilastras representam risco as crianças que frequentam o local, gerando queixas de alguns pais.(Foto:Repórter News)As pilastras representam risco as crianças que frequentam o local, gerando queixas de alguns pais.(Foto:Repórter News)

A situação de binquedos que ficam no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, levou leitores do Campo Grande News a entrar em contato com a redação, se queixando de uma situação de risco, próximo ao acesso a Concha Acústica Helena Meirelles.

Segundo eles, a presença de pilastras de concreto com pontas de vergalhões expostas gerou preocupação de acidentes com as crianças. “Levei meu filho no parque domingo, por lazer. Ele brincava no com as outras crianças e observei o risco de acidentes que os vergalhões proporcionavam”, diz o engenheiro eletricista, de 46 anos, Eduardo Vilas Boas. Eduardo ainda se queixou dizendo que próximo ao local, havia também uma boca de lobo aberta e uma casa de “bombas” com cerca estourada.

A preocupação quanto ao risco de incidentes também foi o principal motivo pelo contato do aposentado Inácio Annes, de 50 anos. “Se vocês puderem contatar os responsáveis, eu agradeço. Acabei ficando assustado com as pontas de ferro e crianças brincando próximo”, diz o rapaz. Inácio também foi ao local com sobrinha e filha no ultimo domingo (28).

Situação provisória  - De acordo com o gerente de unidades de conservação do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul), Leonardo Tostes Palma, as pilastras foram utilizadas para construir no entorno do parquinho, uma espécie de contenção de areia, e por isso a presença das mesmas no local. De qualquer forma assumem que no local haveria ter tido a necessidade de uma melhor fiscalização ou interdição, na intenção de não representar riscos as crianças.

Leonardo afirmou que, assim como todo o Parque das Nações, os locais onde há brinquedos também passam por um processo de reforma e revitalização. A previsão é de que nos próximos meses mais dois parque infantis sejam instalados no interior do parque, sendo que há o projeto de um terceiro voltado a atender crianças com necessidades especiais.

O processo de revistalização do parque envolve, dentre outras ações a pintura das ciclovias, manutenção e instalação de lixeiras e placas de sinalização, além do desassoreamento do lago

Repórter News– Envie sua noticia, flagrante, sugestões de matérias, fotos, áudios e vídeos a redação do Campo Grande News via WhatsApp pelo número (67) 9687-7598.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions