A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 22 de Outubro de 2017

30/04/2008 17:15

Brasil e Paraguai definem ações em zona de vigilância

Redação

Representantes da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal, Superintendência Federal de Agricultura e do Serviço de Sanidade Animal do Paraguai definiram no último final de semana uma série de ações a serem tomadas em conjunto na ZAV (Zona de Alta Vigilância) instalada nos dois lados da fronteira.

O encontro foi mediado por Jamil Gomes de Souza, diretor do Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. A reunião, promovida no Hotel Barcelona na sexta-feira, deliberou por ações conjuntas entre os serviços de inspeção, incluindo revistas em todas as propriedades na linha de fronteira em 15 dias, notificando por escrito os proprietários sobre a proibição de não deixar animais soltos na linha internacional.

Ao mesmo tempo, devem ser seguidas as medidas sanitárias definidas na legislação de cada País. Os trabalhos contarão com inspetores sanitários da Iagro e da Senacsa e, nos dois lados da fronteira, deverão ser cadastrados todos os pontos de embarque de gado, com o compartilhamento dos cadastros entre as unidades locais.

Iagro e Senacsa ainda deverão elaborar um cadastro completo das propriedades e animais que passarão por inquérito soroepidemiológico, trabalho a ser coordenado pelo Panaftosa. A investigação só será iniciada quando o cadastramento estiver completo nos dois lados da fronteira.

Já o cronograma de vacinação não deverá sofrer mudanças em Mato Grosso do Sul, com a realização de três campanhas anuais. O Paraguai realizará duas campanhas gerais e a revacinação para movimentar bovinos de até 12 meses. A terceira etapa da vacinação no Brasil não será obrigatória em território paraguaio.

Por outro lado, haverá harmonização dos períodos de vacinação, que ocorrerão de 1º a 30 de junho e 20 de novembro a 20 de dezembro. Todos os animais serão imunizados.

As medidas foram tomadas com o objetivo de eliminar, em definitivo, qualquer possibilidade do ressurgimento da febre aftosa na região. A fiscalização incluirá todos os animais em trânsito na linha internacional, animais com brincos brasileiros em território paraguaio e bovinos paraguaios no Brasil, fiscalização fluvial conjunta e cadastro de pontos de embarque. Também estão previstas palestras educativas através das entidades de proteção.

A ZAV (Zona de Alta Vigilância) abrange os municípios de Antônio João, Japorã e Mundo Novo na totalidade, Aral Moreira, Bela Vista, Caracol, Coronel Sapucaia, Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho e Sete Quedas, com parte de sua área. Dos 37.888 quilômetros quadrados de área desses municípios, 11.129 quilômetros estão na ZAV. O Paraguai implantou zonas de vigilância similares nas fronteiras com a Argentina e Bolívia.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions