A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 21 de Setembro de 2018

16/03/2018 15:00

Resolução que impõe prova para renovar CNH gera chiadeira nas ruas

Nas ruas e autoescolas, as alterações não foram bem recebidas, já que deve impactar no grau de dificuldade do processo e nos valores

Danielle Valentim
Além de novas habilitações, mudanças atingem a renovação e adição de categoria. (Foto:Paulo Francis)Além de novas habilitações, mudanças atingem a renovação e adição de categoria. (Foto:Paulo Francis)

Para encarar a nova resolução do Contran (Conselho Nacional de Trânsito) que traz mudanças significativas no processo de formação de condutores de veículos automotores, a opinião nas ruas é só uma:“Ninguém tem tempo ou dinheiro sobrando para tudo isso”. Uma das mudanças passa a exigir curso e prova teórica para renovação do documento, a cada cinco anos.

O Detran (Departamento Nacional de Trânsito) ainda analisa o texto, mas nas ruas e nos Centros de Formação de Condutores da Capital, mais conhecidos como autoescolas, as alterações não foram bem recebidas, já que deve impactar no grau de dificuldade do processo e no valor para novos e antigos motoristas.

O taxista Carlos Roberto Oliveira, de 50 anos, trabalha nas ruas de Campo Grande há 20 anos. Contra a nova regulamentação, o motorista de profissão, reclama do gasto. “Eu acho muito errado, sou totalmente contra qualquer nova mudança. É mais um custo. Eu como trabalho de forma remunerada ainda tenho de pagar o psicotécnico”, disse.

O motociclista Lucas Soares, de 24 anos, é recém-habilitado, cerca de um ano, e como “motorista fresquinho” nas ruas, ainda traz na lembrança os gastos e a dificuldade. “Já é difícil conseguir passar e pagar. Eu, por exemplo, gastei R$ 1,7 mil no processo. Com mais alteração, quando for renovar a carteira terei de pagar de novo?”, desabafou.

A resolução 726/18 foi publicada no dia 8 de março e regulamenta o “processo de formação, habilitação, adição de categoria, cursos especializados, de atualização, de aperfeiçoamento, prevenção e reciclagem de condutor de veículo automotor e elétrico, os procedimentos dos exames, cursos e avaliações para a autorização, habilitação, renovação, adição de categoria e a emissão de documentos de habilitação”.

O estudante de pedagogia Thiago Souza, de 25 anos, fez a primeira CNH em 2011 e já precisou realizar a renovação. “Muitas pessoas não vão ter esse dinheiro para os acréscimos ou tempo para voltar ao curso. Eu acredito que as mudanças podem fazer com que tenha ainda mais CNHs vencidas. Na minha opinião, ninguém tem tempo nem dinheiro sobrando. Eu trabalho o dia todo e estudo a noite, que hora eu faria essas aulas para conseguir renovar meu documento? acho uma falta de respeito”, finalizou.

Por meio de nota, o Detran revelou que “a diretoria está fazendo a análise de cada artigo da resolução”. O órgão deve se manifestar sobre na próxima semana.



Na verdade a fiscalização é muito deficiente, a 15 dez atrás existia policiais fazendo o policiamento e com isso inibindo as infrações, com a indústria da multa através de equipamentos, retiraram a policia das ruas, não concordo com essa resolução, mais, como somos escravos do estado não resta outra coisa a não ser fazer a tal prova, ou dirigir ilelgamente.
 
Edilson Geraldo da Silva em 17/03/2018 10:15:45
Esta é mais uma estratégia para a próxima cena, um herói da pátria entrar em ação e gritar a pulmões plenos que é um absurdo etc e talls.... politica tupiniquim, normal. Agora, ser for sério mesmo, é totalmente descabida e a verdadeira autenticação da decadência do Estado em fiscalizar e criar ferramentas de controle do sistema trânsito, ki lixo!
 
TIJUANO em 17/03/2018 07:30:38
Acredito que o CONTRAN errou o tipo de avaliação a ser executada, não deveria ser curso teórico e prova teórica e sim uma nova prova prática, pois cada dia que passa os condutores de Campo Grande desrespeitam ainda mais as regras de trânsito. O motorista acredita estar sozinho em uma pista de corrida, pois não sinaliza sua intenção de troca de faixa ou conversão, não utiliza espelho retrovisor para mudança de faixa de rolagem e o abuso da velocidade que constantemente gera acidentes. Os motoristas profissionais (taxistas, mototaxistas, ônibus e caminhões) nunca dão seta e agem como donos das ruas. Desta forma a obrigatoriedade de uma nova prova pratica para renovação iria coibir os vícios de direção constantemente apresentados em nossa cidade.
 
Fred em 16/03/2018 17:35:54
fala sério , mais um golpe no bolso do povo, com certeza teremos que pagar por estas aulas e prova também isso é absurdo , só fara aumentar o número de pessoas dirigindo sem habilitação e quem ja tem com o documento vencido , pensa no transtorno que vai causar... esses nossos governantes de nosso Brasil varonil...
 
xerife em 16/03/2018 17:14:34
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions