ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, SEGUNDA  01    CAMPO GRANDE 19º

Lugares por Onde Ando

Dicas para onde ir em MS quando a pandemia passar

Por Paulo Nonato de Souza | 04/04/2020 07:12
Flutuação na Lagoa Misteriosa, em Jardim, uma opção de experiência imperdível para quando a pandemia passar (Foto: Divulgação)
Flutuação na Lagoa Misteriosa, em Jardim, uma opção de experiência imperdível para quando a pandemia passar (Foto: Divulgação)

Os turistas sumiram, as companhias aéreas reduziram frotas e voos, hotéis paralisam atividades e as cidades ficaram desertas. São os impactos que a pandemia do novo coronavírus e a quarentena mundo a fora provocaram no turismo.

Ainda não há certeza sobre o fim da quarenta, mas há esperança e até previsão de quando as pessoas terão motivos para voltar a pensar na viagem dos sonhos: a partir de julho ou agosto. Pelos e-mails quase que diariamente enviados aos clientes com ofertas de pacotes e descontos, hotéis, companhias aéreas e agências de viagens estão apostando em um segundo semestre diferente.

Se você também está otimista e já começa a se animar em planejar sua viagem para quando a pandemia passar, listamos 7 destinos turísticos em Mato Grosso do Sul, e seja qual for a escolha, a experiência será inesquecível. Veja abaixo:

1 - BONITO:

Distante 297 km de Campo Grande pela rodovia BR-060, Bonito é um destino perfeito para quem curte paisagens naturais. Apesar da fama de lugar de preços altos, o município é um paraíso com cachoeiras, grutas, aquário natural e rios de águas cristalinas. São pelo menos 40 atrativos em meio a natureza.

2 – JARDIM:

A 237 km de Campo Grande com acesso pela rodovia BR-060, o município de Jardim por muito tempo foi ofuscado pelo seu vizinho, Bonito, distante apenas 70 km, mas nos últimos anos vem atraindo cada vez mais turistas interessados em suas belezas naturais, como o Buraco das Araras e a Lagoa Misteriosa, por exemplo.

O Buraco das Araras é um gigantesco buraco de 100 metros de profundidade, 160 de diâmetro e 500 de circunferência, localizado na Fazenda Alegria, distante 28 km de Jardim e a 54 km de Bonito. É um refúgio de vida silvestre criado pela própria natureza, onde as aves são protagonistas, o centro das atenções de turistas brasileiros e de várias partes do mundo que o ano inteiro vão até lá por alguns momentos de contemplação da beleza do espetáculo que elas proporcionam.

Já a Lagoa Misteriosa com seus 30 metros de largura e 60 de cumprimento, está localizada a 36 km em relação ao centro de Jardim. Seu mistério se resume na profundidade desconhecida. De todas as tentativas de se chegar ao fundo, a marca mais profunda foi registrada em 1998 pelo mergulhador Gilberto Menezes de Oliveira, que atingiu a profundeza de 220 metros sem conseguir o objetivo.

3 – BODOQUENA:

É um dos municípios que fazem parte da unidade de conservação Parque Nacional da Serra da Bodoquena. Distante 271 km de Campo Grande, só a contemplação ao parque e sua imensa diversidade de aves e mamíferos já faz valer a pena, mas Bodoquena é famosa pela grande quantidade de cachoeiras abertas à visitação.

Na trilha ecológica da Boca da Onça, em meio a 4 km de mata, você tem a chance não apenas de contemplar as belezas da natureza do lugar, mas até mergulhar em piscinas naturais de água transparente e ainda tomar banho debaixo de algumas cachoeiras. É importante saber que nem todas possuem pontos de banho para os turistas.

O centro de tudo é a Fazenda Boca da Onça. A propriedade privada tem área de 55% de reserva natural e 45% de produção pecuária, distante 36,3 km em relação ao centro da cidade de Bodoquena com acesso pelo receptivo da Boca da Onça. Na fazenda os passeios são acompanhados de guias preparados, e lá você recebe as recomendações essenciais sobre o que é permitido pelas regras de conservação do meio ambiente.

4 – AQUIDAUANA:

É a porta de entrada para o Pantanal. Para quem segue na rodovia a partir de Campo Grande, são 140 km até Aquidauana e não demora muito para começar a contemplar a maior planície alagada do mundo com 250 mil quilômetros quadrados de extensão. São 74 km entre Aquidauana e Miranda, depois mais 191 km até Corumbá.

 Embora o cartão de visita seja o Pantanal, Aquidauana apresenta uma grande variedade de atrações turísticas, como as belezas naturais da Serra de Maracaju, um conjunto de montanhas que divide o Estado de Mato Grosso do Sul, a leste os campos de cerrado e a oeste a planície pantaneira, com cachoeiras, cavernas e até praias de areia branca às margens do Rio Aquidauana.

5 – MIRANDA:

Distante 207 km de Campo Grande, Miranda é um dos municípios mais antigos de Mato Grosso do Sul. Fundada em 1778, é conhecido como Portal do Pantanal por ter parte da sua área urbana inserida em território pantaneiro.

Com 25 mil habitantes, Miranda tem no turismo rural uma de suas principais referências econômicas. No município há uma abundância de fazendas turísticas como opções na hora de fazer a sua escolha, como a Fazenda São Francisco e a Fazenda Caiaman, por exemplo, e todas abertas para visitação o ano inteiro.

6 – COSTA RICA:

Localizado na região norte de Mato Grosso do Sul, A 375 km de Campo Grande, Costa Rica é um verdadeiro paraíso para quem curte a natureza. A cidade é cercada por quatro parques naturais abertos aos visitantes para o contato com a mata virgem, exploração de trilhas, sítios arqueológicos de mais de 11 mil anos: Parque Estadual Nascentes do Rio Taquari, Parque Nacional das Emas, Parque Natural Municipal da Lage e Parque Natural Municipal Salto do Sucuriú.

7 – PANTANAL:

Se a ideia for contemplar a natureza, com certeza é impossível não pensar no Pantanal. São tantos atrativos que fica até difícil a escolha sobre o que fazer durante o passeio, preferencialmente acompanhados de guias. São 230 espécies de peixes, 650 tipos de aves, 80 espécies de mamíferos e 50 espécies de répteis. É um dos principais destinos de turismo ecológico do Brasil, com fama internacional. O acesso ao Pantanal é pela rodovia BR-262.