ACOMPANHE-NOS    
JULHO, DOMINGO  12    CAMPO GRANDE 30º

Lugares por Onde Ando

Selo vai referendar destinos na retomada do turismo

Por Paulo Nonato de Souza | 06/06/2020 07:21
A retomada do turismo doméstico está sendo preparada e até já tem protocolos e selo com aval da Anvisa (Foto: Divulgação)
A retomada do turismo doméstico está sendo preparada e até já tem protocolos e selo com aval da Anvisa (Foto: Divulgação)

Segmento mais acostumado a trabalhar com felicidade e perspectivas positivas, o turismo começa a sair da fase de abatimento e desânimo provocada pela pandemia do coronavírus. No Brasil, alguns destinos turísticos já estão em processo de retomada gradativa desde o início de maio, como Gramado e Canela, no Rio Grande do Sul, e esta semana o Ministério do Turismo divulgou o selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”, um documento com os protocolos sanitários para o retorno de 15 segmentos do setor.

O selo validado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é gratuito e será utilizado em todo o Brasil, como diferencial relevante do que está sendo chamado de “Novo Turismo”. Tem o objetivo de auxiliar o turista na busca por estabelecimentos turísticos que assegurarem o cumprimento dos requisitos de higiene e limpeza para prevenção da Covid-19, será concedido aos estabelecimentos que estiverem adequados aos padrões de biossegurança.

Na lista dos segmentos que deverão atender aos protocolos estão os hotéis e hostels, agências de turismo, empresas de ônibus ou vans, empresas de organização de eventos, parques temáticos, acampamentos turísticos, restaurantes, cafeterias, bares e similares, parques aquáticos, locadoras de veículos e guias de turismo.

As normas sanitárias vão desde limpeza básica e distanciamento social até exigências específicas para cada segmento do turismo. Os guias de turismo só precisarão manter os cuidados que já fazem parte da normal geral, ou seja, usar máscaras no contato com os clientes e evitar locais com aglomerações, mas para aos parques temáticos, por exemplo, determina a desativação de bebedouros e a desinfecção de brinquedos e armários a cada mudança de usuário. Já os hotéis, além de mudanças nos serviços de alimentação, começando pelo café da manhã, terão que manter os balcões de atendimento sempre limpos, sem nenhum tipo de papel.

Se não é uma abertura ampla e triunfal, pelo menos sinaliza que os empresários brasileiros do turismo já podem voltar a fazer planos não apenas para reabrir seu negócio, mas como irão se comportar na nova realidade, o chamado novo normal.

“Não quer dizer que já de imediato as pessoas virão aos nossos destinos, mas a gente precisava voltar a sonhar, fazer planos e se organizar, montar pacotes de viagens e fazer o nosso marketing”, disse Cristina Moreira Bastos, presidente Associação Visit Pantanal, entidade formada por empresários de serviços do turismo de Campo Grande, do Pantanal, incluindo Aquidauana, Miranda e Corumbá, e Parque Nacional da Serra da Bodoquena, que reúne destinos importantes, como Bonito e Jardim.

A criação do selo de boas práticas em questões associadas à biossegurança é a primeira etapa do Plano de Retomada do Turismo Brasileiro, coordenado pelo Ministério do Turismo. De acordo com o órgão, o certificado estará vinculado ao Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur).

“Com essa iniciativa, o Brasil se posiciona no cenário doméstico e internacional como um destino seguro e preparado para atender um novo perfil de turista que surgirá após a pandemia. Um turista mais interessado e preocupado com a adoção de medidas sanitárias e de higiene”, disse o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

O estabelecimento que receber o selo terá que mantê-lo em local de fácil acesso ao cliente. O documento terá a tecnologia do QR Code pelo qual o turista poderá consultar as medidas adotadas e até fazer denúncias em casos de descumprimento, o que poderá resultar em revogação do selo.

Em nota, o Ministério do Turismo anunciou que as empresas já podem entrar com o pedido do selo. Já os guias de turismo só poderão encaminhar solicitação em cerca de 20 dias. Veja no link como solicitar o selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”.

O selo terá a função de auxiliar o turista na busca por estabelecimentos que assegurarem o cumprimento dos requisitos de higiene e limpeza para prevenção da Covid-19 (Foto: Ministério do Turismo/Divulgação)
O selo terá a função de auxiliar o turista na busca por estabelecimentos que assegurarem o cumprimento dos requisitos de higiene e limpeza para prevenção da Covid-19 (Foto: Ministério do Turismo/Divulgação)