A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2019

25/08/2017 07:23

A fila (des)andou

Por Adilson Roberto Gonçalves (*)

Os instrumentos que se usam para escolher ou preterir uma informação, notícia ou opinião nem sempre são explicitados aos leitores ou mesmo aos autores. A decisão pode ser limitada pelo espaço disponível, ou determinada pela oportunidade e adequação do tema tratado. Dizer "talvez" parece ser mais aceitável que um "não" direto, o que não é verdade, pois cria uma falsa expectativa de publicação. O editor já havia decidido não aproveitar aquele texto. Informa, apenas, que está na fila.

Nos meios de comunicação, a diversidade noticiosa é muito pequena, uma vez que as fontes são sempre as mesmas e é ali que se decide o que vai e o que não vai ser divulgado ao público. Abrir possibilidades para a opinião diversa diminui um pouco essa homogeneidade, mas continuam sendo escolhas de alguns. O autor busca a materialização de sua obra por meio da publicação, dispensando – em um primeiro momento – a remuneração pelo feito.

Redações enxutas, múltiplos meios de divulgação de fatos e opiniões e a interatividade entre os leitores fizeram com que as estratégias da comunicação mudassem, não mais reproduzindo aquelas dos tempos da exclusividade dos meios impressos. A leitura linear foi substituída pelo hipertexto e as limitações entre o que é notícia, o que é opinião e o que é propaganda ficaram muito menos claras.

O bom jornalismo ainda é praticado – raro, por certo, uma vez que todos se sentem aptos a espalhar o que recebem em seus celulares e redes sociais. Opinião balizada é outro rótulo que não expressa necessariamente um profundo conteúdo, pois palpite sempre pudemos dar. A diferença é que agora não fica limitado à mesa de bar ou ao convívio de familiares ou amigos. Achismos, boatos e notícias falsas se espalham em crescimento microbiano, de proporções exponenciais e sem controle.

Insisto na opinião, na comprovação e na comparação da notícia. É mais trabalhoso, sem dúvida, e um contraponto à frenética inserção que se supõe ser a marca da sociedade moderna. Mas satisfaz-me, ainda que não me avisem que a fila andou.

(*)Adilson Roberto Gonçalves é pesquisador na Unesp de Rio Claro.

Temas para Davos
Os ciclos econômicos são uma criação dos homens que controlam o capital ao promoverem injeção de dinheiro para colher ganhos, acelerando artificialme...
O poder do pensamento positivo
A minha geração e as subsequentes, a partir dos anos 40, sofreram uma grande influência da divulgação maciça de uma nova maneira de encarar a vida: o...
Não seja conduzido pelos seus problemas, mas sim pelos seus sonhos
Mais um ano chegou ao final. E já passamos pela festa de réveillon, comemos lentilhas e alguns conseguiram pular as sete ondas. O momento também serv...
A educomunicação, o jornal e a sala de aula
Ao pensarmos nos campos da educação e da comunicação nos remetemos a um leque de teorias que envolvem profissionais e estudiosos dessas duas grandes ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions