A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

13/11/2012 13:59

Atalho para o primeiro emprego

Por Luiz Gonzaga Bertelli (*)

Uma das principais reclamações dos jovens, quando se referem às oportunidades do mercado de trabalho, é a dificuldade para a obtenção do primeiro emprego. Sem experiência, eles perdem a disputa na preferência dos selecionadores por candidatos com prática comprovada e já capacitados para a profissão. A situação piorou nos últimos meses com a desaceleração econômica, que diminuiu a oferta de vagas, o que fez despencar os índices de primeira contratação para o mercado de trabalho formal.

Com 48 anos de experiência na inserção profissional e social do jovem, o CIEE aposta numa fórmula de sucesso para amenizar o problema: os programas de estágio e aprendizagem. Essa modalidade de capacitação prática dá para o jovem inexperiente a oportunidade de conhecer a dinâmica do mundo da produção, tanto no aspecto prático das funções desempenhadas quanto na aquisição e maturação de comportamentos corporativos, habilidades que não são trabalhadas em sala de aula.

Com o estágio, existe uma troca continua entre a teoria, que o estudante absorve na escola, e a prática no dia a dia nas empresas. Essa contribuição bilateral enriquece os conceitos e a capacidade de reflexão nas matérias e pode ser aplicadas empiricamente por meio de ações desenvolvidas durante o estágio. Ganham com isso a empresa, que terá jovens atualizados com o que há de mais moderno no mercado, e o próprio estudante, por receber uma formação mais sólida e adequada às exigências atuais da necessidade de mão de obra qualificada.

A aprendizagem, que vem em crescimento constante nos últimos anos – ao qual o CIEE empresta forte contribuição com o programa Aprendiz Legal –, também facilita o acesso dos jovens ao mercado de trabalho, principalmente aqueles mais carentes, de áreas de vulnerabilidade social. Com contrato CLT, os aprendizes atuam na empresa e recebem capacitação teórica (que incluem ações voltadas ao desenvolvimento pessoal e da cidadania), sendo, dessa forma, lapidados para que se encaixem no mercado de trabalho em condições de serem efetivados e nele permanecerem. Portanto, o CIEE acredita que essas duas formas de capacitação são atalhos importantes que devem ser levados a sério pelos jovens que pretendem começar suas carreiras com o pé direito, com pensamento focado lá na frente, no sucesso profissional.

(*) Luiz Gonzaga Bertelli é presidente executivo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), da Academia Paulista de História (APH) e diretor da Fiesp.

Compliance: benefícios práticos nas empresas
Um dos principais patrimônios de uma organização é, sem dúvidas, sua reputação, que pode ter impacto tanto positivo como negativo nos negócios. Indep...
Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
Sem comunicação não há evolução
Os líderes do agronegócio hoje concordam que precisamos dialogar muito mais com a sociedade urbana, pois sem isso não teremos aderência nas necessida...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions