A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Outubro de 2019

04/07/2012 13:50

Carga horária da enfermagem e o sono em pandarecos

Por Ruy Sant’Anna (*)

Ainda é verdade: a notícia “só existe”, como desde o início das escolas de jornalismo nas faculdades oficiais ou nas da vida, quando “o cachorro faz mal à moça”. E com esse espírito o antigo jornal A Luta Matogrossense anunciou: “CACHORRO FEZ MAL A MOÇA”! Alguns leitores ávidos pelo sensacionalismo reclamaram porque no corpo da notícia a história não era a que se anunciava na capa do jornal.

Apenas, uma moça teria comido cachorro quente e este sim, fizera-lhe mal. E veja que esse assunto foi manchete do jornal “A Luta Matogrossense”, do polêmico e bom jornalista, saudoso, Chaves.

Sei que essa lembrança é muito carregada na comparação, porém ela ainda é muito atual em várias oportunidades no jornalismo e na política congressual. Se não vejamos: há poucos dias a Câmara Federal barrou um sonho acalentado há 12 anos pelos dedicados, sacrificados e muito pouco reconhecidos em seus valores profissionais e humanos: as(os) enfermeiras.E pouco, quase nada conseguiu repercutir na chamada grande imprensa nacional.

E qual a revindicação dessa valorosa classe, que eu particularmente sempre respeitei, respeito e admiro...?

A enfermagem brasileira luta arduamente pelo direito de ter reconhecida a carga horária de 30 horas semanais em seus registros trabalhistas. É importante esclarecer que o Congresso Nacional já aprovou projetos que regulamentam a jornada de trabalho dos médicos, com 20 horas semanais; técnicos de radiologia, 24 horas semanais; fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais 30 horas semanais e os assistenes sociais com com 30 horas semanais.

E qual seria a razão básica do impedimento da satisfação desses profissionais? “O suposto impacto financeiro” na área pública e privada que empregam esses trabalhadores. Porém, não é isso o que afirma o conseituado Departamento Intersindical de Estatíca e Estudos Sócio-Econômicos (DIEESE) em análise efetuada em 2011, que por sinal, serviu-se de dados oficiais do governo federal (RAIS do Ministério do Trabalho e Emprego), ao mostrou que o aumento na massa salarial do setor saúde é muito pequeno, ou seja apenas 1,33%, correspondendo a R$ 3,7 bilhões.

E o mesmo DIEESE levantou que a jornada de 30 horas, quando aprovada, representará a abertura de 194.857 novos postos de trabalho para os profissionais da Enfermagem. Outra informação importante é que as entidaes da Enfermagem coletaram estatísticas do IBGE e constataram que os impactos financeiros serão poucos porque muitas localidades já adotaram jornada de 30 horas semamanais através de acordos institucionais, E além disso os municípios de Curitiba/PR e do Rio de Janeiro,aprovaram leis municipais adotando jornada de 30 horas semanais.

É essa a luta heróica da Enfermagem brasileira, quando maldosamente são desprestigiados nesse direito sagrado que é o de receberr um mínimo de consideração pelo esforço/sacrifício que os levam a manter o ânimo e idealismo intactos. Todos conhecemos o dia a dia desses trabalhadores diante de tantos sofrimentos alheios ao procurar com aconchego, amor e profissionalismo minorar a dor de seus pacientes, ao lado da valorosa classe médica.

É comum encontrarmos esses profissionais em algumas colocações de atendimentoem residencias, além dos plantões e horários de serviço em hospitais, com vários, em turno de 24 por 24 horas. E o ciclo de sono dessas pessoas, como anda? Como diria o leigo: em pandarecos!

Assim, caros leitores essa é a luta da batalhadora classe da Enfermagem. Cá deste lado torço e dou esta mínima colaboração, mesmo sabendo que as enfermeiras e enfermeiros não fazem mais do que suas obrigações ao bem atender seus pacientes. Mas, como vimos eles não são tão simples assim. São heróis brasileiros.

Enquanto isso a classe política deve-lhes essa. Mas relevando a maldade dos insensíveis deputados federais que não cumpriram com seus deveres de presença em plenáro para votar a favor ou contra a carga horária de 30 horas semanais para a Enfermagem, abraço e respeito aos senhores deputados, em minoria é verdade, mas que ética e honrosamente marcaram presença naquela frustrada votação.

Por isso dou o meu bom dia, o meu bom dia pra você classe da Enfermagem, acreditando que o poder de convencimento dos bons políticos e a força das enfermeiras e enfermeiros prevaleçam nessa boa luta.

(*) Ruy Sant’Anna é advogado e jornalista.

Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
Sem comunicação não há evolução
Os líderes do agronegócio hoje concordam que precisamos dialogar muito mais com a sociedade urbana, pois sem isso não teremos aderência nas necessida...
A Ciência e o desenvolvimento: o óbvio que deve ser lembrado
Um país só se desenvolve se tiver ciência sólida que se transforme em tecnologia empregada pelo setor produtivo. Isso tem sido sobejamente demonstrad...


Parabéns pelo belíssimo artigo. A frustada votação das 30 horas para a Equipe de Enfermagem só mostrou o quanto somos "bem representados" pelos políticos desonestos e desqualificados, Obrigada Sr. Fábio Trad e Marçal Filho por terem colaborado com a Enfermagem sulmatogrossense e brasileira votando contra o nosso "Sonho" de ter uma vida profissional mais digna e humana.
 
ALEXANDRA DE SOUZA CASTRO em 05/07/2012 11:50:00
Parabéns pelo belíssimo artigo senhor Ruy, algo muito gostoso de se ler e saber que você pensa algo tão importante e ansiado pela categoria e os mais de 1.700.000 profissionais do pais.Agradeço , um muito obrigado!
 
Jaciglei Santos Costa em 05/07/2012 06:39:16
Quero parabenizar o CampograndeNews e o Sr. Ruy Sant’Anna pelo excelente artigo. Há tempos não lia nada que falasse com tanta clareza sobre a enfermagem, que não tivesse sido escrito por um enfermeiro.
Realmente é emocionante sentir essa valorização vindo de alguém, especialmente alguém com tanta cultura e conhecimento.

Que Deus o abençoe sempre.
 
Sandra L. Felix de Freitas em 04/07/2012 06:47:00
Finalmente alguem da midia deu voz ao nosso clamor. sempre que falamos da saude publica é mostrado a super lotação de corredores, mais ninguem vê os profissionais da enfermagem trabalhando tão sobrecarregados.
 
janaina silva em 04/07/2012 06:46:00
"Sono em pandarecos".. Parabéns pela reportagem...
 
Emmanuela Lopes em 04/07/2012 04:45:52
Agradeço suas palavras, não sei expressar qual é minha maior decepção; se é ser Enfermeiro ou ser Brasileiro.
Mas, diante de tanta sujeira, é bom saber que existem pessoas como você que admiram a nossa profissão, nossa dedicação para com quem espera de nós, no mínimo; atenção, e o que essas pessoas encontram é superação.
Obrigado e desculpe o desabafo.
Edney - Enfermeiro
 
Edney Marchesoni em 04/07/2012 03:49:58
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions