A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 25 de Junho de 2018

11/04/2012 06:38

Desaposentação, o que é isso?

Jogo Aberto

O artigo da advogada Viviane Coelho de Carvalho Viana, especialista em Direito Previdenciário OAB/SP, é o melhor sobre esse tema. “Muitos aposentados, em razão do baixo valor seu benefício, se veem obrigados a voltar ao mercado de trabalho para complementar a renda mensal. Ao voltar a trabalhar eles são obrigados a contribuir para a Previdência Social, conforme o artigo 11, parágrafo 3.º, da Lei 8.213/91. Acontece que, mesmo contribuindo, os aposentados não têm direito a qualquer benefício previdenciário, com exceção do salário família e da reabilitação profissional, irrelevantes para quem já é aposentado. Por conta deste movimento, foi então criado um instituto previdenciário chamado de DESAPOSENTAÇÃO que consiste na renúncia da atual aposentadoria para que, em seguida, uma nova aposentadoria seja concedida, com a inclusão de todo período contributivo”.

A Desaposentação é realidade. Mais de milhão de aposentados continuam a trabalhar e, consequentemente, a contribuir para a Previdência. “Se todos requererem a Desaposentação, o impacto para os cofres previdenciários será de R$ 2,7 bilhões por ano. O número de ações judiciais cresce diariamente. Os aposentados buscam minimizar o seu prejuízo por não poderem reaver as contribuições que fizeram ao INSS em relação ao período pós-aposentadoria.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) tem se posicionado favoravelmente a não devolução dos valores recebidos da aposentadoria anterior. A explicação dada por esse tribunal é que a renúncia à aposentadoria, para fins de aproveitamento do tempo de contribuição e concessão de novo benefício, não implica na devolução dos valores percebidos, pois enquanto perdurou a aposentadoria, os pagamentos, de natureza alimentar, eram indiscutivelmente devidos. O Ministro (STF) Sebastião Reis, afirma que a troca de aposentadoria não é pedido de revisão, mas um beneficio para obter outro”.

“O Supremo Tribunal Federal (STF) começou a julgar a possibilidade da Desaposentação. O Recurso Extraordinário - RE 381367/RS - poderá confirmar a posição do STJ, de não devolução dos valores recebidos enquanto vigia a aposentadoria inicialmente concedida. É importante destacar que, antes de ingressar com a ação de Desaposentação, o segurado deve fazer uma contagem do novo tempo de contribuição, com a soma de todo período contributivo anterior e posterior à aposentadoria. Assim, poderá fazer o cálculo do valor da nova aposentadoria e verificar se ela será mais vantajosa que o benefício que recebe atualmente. Vale informar que o segurado não fica sem receber o valor de sua aposentadoria atual no decorrer do processo.

No Legislativo Federal, vários projetos de lei foram apresentados para garantir ao segurado o direito à renúncia à aposentadoria sem prejuízo da contagem do tempo de contribuição e também para impedir a exigência da devolução dos valores percebidos, por terem natureza alimentar. Porém, os projetos (7.092/10 e 7.369/10) foram arquivados”. O SINDNAPI atento, está articulando no Congresso a retomada de discussão desses projetos. Os Legisladores precisam dar atenção urgente a esta matéria.

Até que uma LEI seja publicada para regularizar esse prejuízo ao aposentado empregado, a DESAPOSENTAÇÃO é um grande meio para que o segurado se valha das contribuições feitas após sua aposentadoria pelo fato de ter voltado a trabalhar. Por enquanto SINDNAPI/MS disponibiliza assessoria Jurídica para encaminhar ações de interesse dos aposentados.

(*)Jânio Batista de Macedo é Presidente Estadual do SINDNAPI - MS

Sindicato Nacional dos Aposentados Pensionistas e Idosos da FORÇA SINDICAL

Sede Estadual Mato Grosso do Sul

A corda arrebenta para todos
Ao pensar na África, geralmente formamos imagens com exuberância de recursos naturais. Falta de água nos remeteria aos desertos daquele continente, e...
Os três pilares do aprendizado
A educação brasileira passa por um profundo processo de transformação com a implantação da nova Base Nacional Comum Curricular. Precisamos estar pron...
O país onde tudo é obrigatório
Nos Estados Unidos, na França e na Inglaterra, as regras ou são obedecidas ou não existem, por que nessas sociedades a lei não é feita para explorar ...
Universidade pública e fundos de investimento
  A universidade pública não é gratuita, mas mantida pelos recursos dos cidadãos. E por que a Constituição brasileira escolheu determinar esse tipo d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions