A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

20/02/2014 09:29

Saiba o que fazer para declarar o IR

Por Dora Ramos (*)

O mês de março chega acompanhado da declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) e pedindo muito da nossa atenção. Com correção anual automática de 4,5%, em 2014 os contribuintes que receberem mais de R$ 1.787,77 por mês terão que acessar o portal da Receita Federal e preencher o formulário de declaração. Por isso, brasileiros, adiantem-se com o levantamento dos dados para que tudo não fique para a “última hora”.

É importante que todos estejam atentos aos prazos, quanto antes a declaração for entregue, mais rapidamente a restituição será liberada e o dinheiro cairá na conta do contribuinte. Aos que descumprirem as determinações, um aviso: quem não declarar durante os dois meses disponibilizados pelos órgãos responsáveis terá de pagar multa de, pelo menos, R$ 165,74 pelo atraso, com o valor podendo chegar a 20% do Imposto de Renda devido.

Ainda pior que o atraso, no entanto, é declarar de forma errada. Como já é sabido por todos, a restituição do IR começa a ser liberada em junho, em lotes mensais, e o contribuinte que se equivocar ao preencher o formulário de declaração pode cair na temida “malha fina”, tendo direito a receber o dinheiro restituído apenas quando a situação estiver regularizada. Preste bastante atenção na hora de declarar dependentes: um filho que declara a mãe como dependente, por exemplo, quando outro filho ou o marido também já tenha declarado, será pego pela Receita.

Para evitar imprevistos, é fundamental que uma série de cuidados seja tomada: é imprescindível que a papelada esteja ordem, com a separação do que é dedutível no Imposto de Renda, como gastos com educação (escolas e cursos); saúde (planos de saúde e consultas médicas, por exemplo); contribuições previdenciárias; doações a entidades e pagamentos de pensão alimentícia – os comprovantes de todas essas despesas devem estar guardados.

Com atenção ao prazo e a documentação organizada, o brasileiro conseguirá cumprir seu papel sem se complicar em um procedimento tão rotineiro. Apenas algumas horas do dia já são suficientes para que fiquemos tranquilos com nossas obrigações com o IR, longe de quaisquer sustos com o “Leão”.

(*) Dora Ramos é especialista em Contabilidade e Finanças Pessoais e diretora da Fharos Contabilidade e Gestão Empresarial

 

ICMS e agrotóxicos: um exemplo de lucidez em meio ao caos
O amplo conjunto de ações impostas em 2019 por governantes brasileiros no sentido de fragilizar a proteção ao meio ambiente não tem paralelo na histó...
Compliance: benefícios práticos nas empresas
Um dos principais patrimônios de uma organização é, sem dúvidas, sua reputação, que pode ter impacto tanto positivo como negativo nos negócios. Indep...
Um olho no peixe, outro no gato
O agro brasileiro poderia ser bem mais assertivo em sua comunicação com os mercados, aqui e no exterior. Falar mais das coisas boas que faz, seguindo...
Como transformar a nossa relação com a natureza?
Falar em meio ambiente não é algo abstrato. Se traduz no ar puro que respiramos, na água que bebemos e na fauna e flora que nos cercam. Somos depende...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions