A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 22 de Junho de 2018

29/01/2013 09:01

Visibilidade, a palavra do momento

Por Célia Franzoloso

Estamos na segunda década dos realitys shows, programas de televisão que mostram, ou tentam mostrar, a vida ou as pessoas como elas são. A proposta é invadir a privacidade de alguns grupos e com isso ganhar a audiência de um público ansioso por espetáculo. Não se trata de exposição, mas de dar visibilidade a comportamentos que normalmente não acontecem em público.

O interessante é que depois de uma semana de programa, ou menos, alguns participantes já se tornam celebridade. Quando pensamos que o lançamento de um produto de consumo, normalmente leva meses ou anos para acontecer, neste caso o produto “gente” é lançado e quase que instantaneamente conquista o mercado. Lógico que as pessoas não estão à venda, mas a visibilidade que conquistam é tamanha, que elas sim, passam a vender produtos.

O Brasil é o quinto maior mercado em potencialidade no setor publicitário. As maiores agências de comunicação do mundo, também estão no Brasil. Isto vem confirmar que, os brasileiros estão abertos a novos produtos e ao consumo. Diante de indicadores sinalizando que está havendo a tão sonhada mobilidade social no País, esta abertura para o mercado de consumo se enquadra perfeitamente à proposta dos realitys shows.

A explicação para o sucesso de alguns tipos e a rejeição para outros não é fácil. Estamos vivendo um momento social, onde a Teoria dos Vínculos (as diversas áreas do conhecimento se interligam), isto quer dizer que uma força tarefa é acionada para que tal perfil se projete e faça sucesso. Seria a visibilidade maior de uns a razão para o destaque e a conquista de público? Talvez, mas o que realmente conta é que todos estão visíveis e somente poucos se tornam realmente celebridade, ou visíveis ao olhar da mídia total. E daí para ganhar dinheiro e fama vendendo produtos, é um passo.

Analisando o quadro apresentado concluímos que a propaganda ainda é o negócio. Quer seja um produto fabricado pelo homem ou modelos interpretados por pessoas em exposição, esta é a era da disponibilidade. A partir do momento em que estamos disponíveis pode acontecer a grande virada. Que o digam as redes sociais, onde todos confabulam e revelam seus pensamentos mais normais. A privacidade deu lugar à exposição e com ela trouxe a visibilidade, palavra chave para o sucesso e o consumo.

(*)Célia Franzoloso, professora e coordenadora do curso de Comunicação Social – habilitação em Publicidade e Propaganda do Centro Universitário anhanguera de Campo Grande

O país onde tudo é obrigatório
Nos Estados Unidos, na França e na Inglaterra, as regras ou são obedecidas ou não existem, por que nessas sociedades a lei não é feita para explorar ...
Universidade pública e fundos de investimento
  A universidade pública não é gratuita, mas mantida pelos recursos dos cidadãos. E por que a Constituição brasileira escolheu determinar esse tipo d...
Uma nobre atitude de cidadania e espiritualidade
A solidariedade é intrínseca à condição humana, um dever moral que vai além da dimensão religiosa, pois todos somos gregários e frágeis. A bondade é ...
Servidor público da Previdência Social
Os servidores da Previdência Social, em especial aqueles que trabalham no INSS, estão totalmente sem norte, em virtude das mudanças políticas promovi...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions