ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  18    CAMPO GRANDE 22º

Cidades

Assassino de ator fez título de eleitor falso em MS

Detalhes da fuga reforçam tese inicial de que crime foi premeditado; encontrado em MS, Cupertino segue foragido

Por Nyelder Rodrigues | 05/11/2020 18:54
Paulo Cupertino está na lista dos mais procurados criminosos em São Paulo
Paulo Cupertino está na lista dos mais procurados criminosos em São Paulo

Cinco dias após matar o ator Rafael Miguel e seus pais, Paulo Cupertino Matias conseguiu passar pela biometria e tirar em Ponta Porã - cidade localizada a 323 km de Campo Grande - um novo título de eleitor com o nome falso Manoel Machado da Silva, identidade que usou após fugir de São Paulo (SP), onde cometeu o triplo homicídio.

O crime aconteceu em 9 de junho de 2019 e, desde então, Paulo está foragido. Ele foi descoberto recentemente em um sítio localizado em Eldorado - município que fica a 447 km de Campo Grande. Contudo, ao saber que foi encontrado pela polícia, ele fugiu e até o momento não se sabe qual o seu paradeiro.

Durante às investigações, foi descoberto diversos documentos falsos retirados por Paulo em Mato Grosso do Sul, todos usando o nome falso Manoel Machado. Além do título, o foragido conseguiu uma certidão de nascimento falsa de Rio Brilhante, datada de 19 de janeiro de 2019 - ou seja, data anterior ao crime.

A situação específica ao título de eleitor já está sob investigação da corregedoria-geral do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul). A apuração começou por iniciativa da própria Justiça Eleitoral, que fez o cruzamento de dados após divulgação do nome falso de Paulo na imprensa.

Possíveis disfarces de Cupertino, segundo a polícia paulista
Possíveis disfarces de Cupertino, segundo a polícia paulista

"O primeiro título foi feito em 11/5/1990, com o nome de Paulo Cupertino Matias (com zona eleitoral de SP) e o segundo documento, requerido em 14/6/2019 em nome de Manoel Machado da Silva (com zona eleitoral de MS)", explica o TSE em nota oficial.

Ainda segundo o Tribunal, Cupertino só conseguiu passar pelo processo de biometria sem ser descoberto pois seu título original apresentava diferença de dados e não tinha ainda passado pelo cadastro biométrico, facilitando a falsificação. Os demais detalhes ainda estão sob investigação do TRE e TSE.

Sob inscrição 028796071910, o título de eleitor falsificado de Cupertino ainda consta como ativo, estando ele apto, inclusive, a votar no próximo dia 15. Cadastrado na 19ª zona eleitoral e seção 0299, o seu local de votação era a Escola Estadual Joaquim Murtinho, que fica na rua General Osório, 321, em Ponta Porã.

Para fazer o título de eleitor, é necessário comparecer ao cartório eleitoral da cidade com documentos pessoais e comprovante de residência, além de passar pelo processo de biometria - o que deixa claro que Paulo Cupertino foi até Ponta Porã logo depois do triplo assassinato, reforçando a tese inicial de premeditação.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário