ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Capital reduz ocupação a 86% e secretária pede para "não baixar a guarda"

A macrorregião de Campo Grande, que inclui outros municípios, não tinha esse índice desde 26 de fevereiro

Por Guilherme Correia | 03/05/2021 11:37
Pessoas com comorbidade foram inclusas pela prefeitura no cronograma de vacinação contra a covid-19 (Foto: Kísie Ainoã/Arquivo)
Pessoas com comorbidade foram inclusas pela prefeitura no cronograma de vacinação contra a covid-19 (Foto: Kísie Ainoã/Arquivo)

A macrorregião de Campo Grande registrou taxa de 86% na ocupação de unidades públicas de terapia intensiva nesta manhã (3), índice que vinha sendo superior a 90% desde 26 de fevereiro.

O cálculo é feito comparando o total de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em relação a quantidade de pacientes ocupando essas estruturas. Vale lembrar que o conceito de "macrorregião de saúde" engloba vários outros municípios - o de Campo Grande, por exemplo, tem outras 19 cidades sul-mato-grossenses, mas grande maioria dos leitos são só da Capital.

"Não é momento de baixarmos a guarda", ressaltou a secretária-adjunta em Saúde, Crhistinne Maymone, durante coletiva feita hoje. Ela ainda mencionou que o período de seca pode comprometer doenças respiratórias no Estado: "[o inverno] aumenta o número de síndromes respiratórias agudas graves".

Além disso, há 21 pacientes ainda aguardando ser encaminhado a algum hospital, sendo que a maioria (18 pacientes) são da própria Capital, enquanto há pelo menos um paciente de Dourados, Jardim e Maracaju. Esse processo de regulação acontece desde antes da pandemia, e não depende apenas da taxa de ocupação - outros fatores como avaliação médica ou hospitalar também são levados em conta.

As outras macrorregiões estaduais, contudo, apresentam índice alto. Dourados tem 90% das unidades de terapia intensiva ocupadas, enquanto Três Lagoas possui 97% e Corumbá atinge lotação máxima, de 100%.

Maymone também explicou que aqueles que já estão inclusos no plano nacional de imunização contra o vírus influenza, a gripe, devem buscar imunização o quanto antes. Além disso, aqueles que estejam contemplados tanto para essa vacina como para a contra a covid-19, é necessário respeitar período de 15 dias entre as duas.

Vacinação - O titular da SES (Secretaria Estadual de Saúde), Geraldo Resende ressaltou que as vacinas da Pfizer chegarão na noite de hoje - o que já foi adiantado em notícia publicada hoje cedo pelo Campo Grande News, o que faz com que a vacinação para grávidas e puérperas tenha sido adiada para amanhã a partir das 14 horas.

Além disso, as remanejadas no sábado (1º) estão sendo encaminhadas a idosos que ainda não foram vacinados até o momento, enquanto as recebidas hoje, da Astrazeneca, serão distribuídas ao longo do dia para que os municípios apliquem primeiras doses. Além disso, há previsão de nova remessa de novas doses de Coronavac para o meio da semana, que serão encaminhadas a aplicação de 2ª dose.

Boletim atualizado - Foram registrados 407 infectados e 30 mortos pela covid-19 em Mato Grosso do Sul, que fazem o Estado chegar a 250,3 mil casos e 5.812 óbitos desde o início da pandemia. As vítimas confirmadas hoje tinham entre 33 a 79 anos.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário