ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  11    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

Com tímida queda nos casos graves, Capital reduz pacientes "na fila" por UTI

Média de casos graves teve redução de 21% em Campo Grande, mas ainda está em nível acima do adequado

Por Guilherme Correia | 03/05/2021 16:25
Pessoas esperam em unidade de saúde em Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)
Pessoas esperam em unidade de saúde em Campo Grande (Foto: Henrique Kawaminami/Arquivo)

Passados quase quatro meses desde o início da vacinação contra a covid-19 em Campo Grande, que pode ter feito reduzir mortes em pessoas acima de 80 anos, a quantidade de pacientes aguardando leito de UTI com sintomas de SRAG - que na maior parte dos casos têm relação com casos de covid-19, chegou a 21 nesta manhã - número baixo comparado a última semana.

Nos últimos oito boletins epidemiológicos divulgado pelo governo estadual, a taxa esteve sempre acima de 30 pessoas. Vale lembrar que esse processo não depende apenas da disponibilidade de estruturas, como também da avaliação médica e hospitalar de cada paciente, portanto mesmo com 14% dos leitos vagos, conforme dados da SES (Secretaria Estadual de Saúde), ainda leva alguns dias para regulação de hospitalizados.

Além disso, casos graves da doença apresentaram uma queda de 21% na média verificada no início de maio, comparada ao índice de 14 dias atrás, mesmo que o índice ainda esteja no pior momento de toda a pandemia e segue com muita instabilidade, dificultando análise mais precisa.

Para isso, a reportagem levantou dados do Ministério da Saúde, que compila a quantidade de pacientes internados em leitos públicos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) em casos de SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave), ao longo do último ano.


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário